Moradores de São Paulo e região metropolitana que dependem do transporte ferroviário, operado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), encontram o sistema parcialmente parado desde as 4h — início das operações — em razão de greve decretada na noite de ontem durante uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

A linha 12 - Safira, que liga Brás, no centro de São Paulo, até Calmon Viana, em Poá, na Grande São Paulo, está totalmente parada. A linha 11 - Coral, está inoperante entre a estação Estudantes, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, e a estação Guaianazes, na zona leste de São Paulo. Neste trecho, foram acionados ônibus por meio do Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese). Já entre as estações Guaianazes e Luz, os trens circulam normalmente.

Segundo a assessoria de imprensa da CPTM, as linhas 7 - Turquesa (Jundiaí - Luz); 8 - Diamante (Júlio Prestes - Itapevi); 9 - Esmeralda (Osasco - Grajaú) e 10 - Rubi (Luz - Rio Grande da Serra) operam normalmente. Já o presidente do Sindicato da Zona Sorocabana, Múcio Alexandre Bracarense, afirma que a linha 8 - Diamante (Júlio Prestes - Itapevi) opera apenas com 50% da capacidade e a linha 9 - Esmeralda (Osasco - Grajaú), com 60% dos trens programados para o horário de pico.

O contingente que opera nesta manhã não atinge os 90% do efetivo exigidos pelo TRT para o horário de pico.

AGÊNCIA ESTADO
 DC Recomenda
 
 Comente essa história