Sete vereadores de Içara, no Sul de Santa Catarina, devem prestar depoimento na delegacia do município que investiga a denúncia de "votos marcados" na sessão que poderia decidir o destino de uma área de preservação ambiental da região. Outros cinco servidores da Câmara de Vereadores devem ser ouvidos nesta semana.

Na votação, que aconteceu no dia 16 de maio, o veto do prefeito Gentil da Luz ao projeto de lei que se refere à extinção da Área de Proteção Ambiental de Santa Cruz e altera as atribuições da Fundação Municipal de Meio Ambiente de Içara (Fundai) foi derrubado pelos vereadores. Agentes de uma força-tarefa do Ministério Público, Polícia Militar e Polícia Civil recolheram as cédulas, que passaram por perícia.

O depoimento dos envolvidos serão colhidos até a próxima segunda-feira. A conclusão do inquérito deve acontecer em 15 dias.

A força-tarefa surgiu após representação do Movimento Içarense pela Vida, que suspeitava de manobra irregular por parte de vereadores para aprovação de lei que iria beneficiar o ingresso de atividades industriais poluidoras na região e a extinção da área de proteção ambiental.

DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história