O Tribunal de Justiça negou o pedido de liberdade provisória do ex-deputado federal Nelson Goetten, na manhã desta terça-feira. O advogado de defesa havia entrado com habeas corpus em fevereiro desde ano.

Goetten foi preso em março do ano passado sob suspeita de estupro e aliciamento de adolescentes. Desde junho do ano passado, quando foi transferido da sede da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) em Florianópolis, Goetten está detido na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Itapema, onde divide a cela com outros suspeitos de estupro e violência doméstica.

O teor da decisão não pode ser revelado por que caso corre em segredo de justiça. O sigilo é necessário porque as vítimas apontadas na investigação tinham menos de 18 anos na época dos supostos crimes.

DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história