Mesmo com a promessa de um cessar-fogo na Síria nos próximos dias, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, declarou nesta quinta-feira estar preocupado com os contínuos ataques contra civis no país.

— Apesar de o governo sírio ter aceito o plano do enviado especial (Kofi Annan, mediador das Nações Unidas) para resolver a crise, a violência e os assaltos em áreas civis não pararam — disse Ban Ki-moon durante reunião informal sobre a situação na Síria.

O presidente sírio, Bashar Al Assad, aceitou o cessar-fogo a partir do próximo dia 10, proposto pelo enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Kofi Annan. O acordo prevê a retirada de tropas do regime do centro das principais cidades no prazo de 48 horas.

Tropas do governo sírio intensificaram nesta quinta-feira os ataques contra opositores do regime, às vésperas da chegada de um representante de Annan, que irá negociar o monitoramento do plano de paz.

Ativistas contrários ao governo sírio dizem que as cidades de Homs, Daraa e a região próxima a capital Damasco foram bombardeadas. Eles alegam que Bashar Al Assad está lançando uma última ofensiva antes do início da vigência do cessar-fogo.

As Nações Unidas estimam que mais de 8 mil pessoas morreram na Síria, a maioria civis, desde o início dos conflitos no país.

AGÊNCIA BRASIL
 DC Recomenda
 
 Comente essa história