Imagens esclarecem ação durante assalto em posto de combustíveis em Florianópolis Reprodução/Reprodução

As filmagens registram a dupla chegando de moto, por volta de 2h, o assalto, a abordagem policial e os disparos

Foto: Reprodução / Reprodução

A gravação com ameaças no telefone celular de um adolescente morto em confronto com a Polícia Militar, na madrugada de domingo, é visto como um indício da periculosidade desses jovens. O aparelho foi encontrado perto do corpo de Eduardo Ferreira da Luz, 16 anos, com um recado de vingança.

A voz do homem questiona a morte do rapaz, a quem chama de "camarada", e ameaça: "Nós vamos matar tu e tua família toda".

A família do rapaz morto suspeita de execução, pois um dos tiros teria acertado as costas de Eduardo.

O comando-geral da PM emitiu, nesta segunda-feira nota oficial questionando a matéria da edição de segunda-feira do DC. A corporação afirma que a conduta dos PMs, em tese, foi baseada na técnica policial e destaca a rapidez do atendimento à ocorrência. A nota ressalta que Eduardo tinha 15 passagens criminais e teria atirado nos PMs. A polícia também questiona a imparcialidade da reportagem, que ouviu a versão da família do rapaz. Procurada no domingo, a Comunicação Social da PM marcou para segunda sua manifestação.

A ação da PM foi rápida. Os policiais faziam ronda no Bairro Santa Mônica quando foram alertados do assalto ao posto de combustível na Avenida Madre Benvenuta.

Nesta segunda, enquanto o corpo do adolescente que tinha passagens por tráfico de drogas, assaltos e roubos era enterrado, polícia e funcionários do posto divulgaram o áudio no celular e imagens do assalto, cedidas ao DC pela RBS TV.

As filmagens registram a dupla chegando de moto, por volta de 2h, o assalto, a abordagem policial e os disparos. A imagem mostra Eduardo armado. Após renderem e roubarem funcionários e clientes, eles deixam a loja. Quando percebem a chegada da PM, ficam nervosos, deixam a moto cair e correm. Um deles fica para trás.

Um PM atira para cima, e o outro segue até a loja. Um policial vai atrás do assaltante, que coloca a mão na cintura para pegar a arma. Atingido, ele cai, mas a câmera não mostra.

A informação do boletim de ocorrência da 5ª DP, de que seriam cinco ladrões, foi descartada pela polícia. Jonatan Leandro Ventura, 18 anos, suspeito de participação, está preso.

A família de Eduardo ainda espera o laudo do Instituto Geral de Perícias, que deve esclarecer as circunstâncias da morte. O pai dele, José Maria Ferreira da Luz, tem a certidão de liberação do corpo, que atesta a morte por disparo de arma de fogo no tórax.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história