Todas as denúncias feitas pelos familiares sobre agressões na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, foram comprovadas, afirmou o ouvidor nacional de Direitos Humanos Bruno Renato Teixeira. As declarações do enviado de Brasília para avaliar a situação catarinense foram feitas na saída da inspeção, que demorou quatro horas e acabou às 15h desta terça-feira.

Foram encontrados 70 presos machucados e balas de borracha em várias celas. Ele encontrou problemas na saúde, como falta de médicos; no acesso ao trabalho; restrição no abastecimento de água; negligências e superlotação. O ouvidor nacional vai aguardar o resultado do inquérito policial aberto para apurar as denúncias de tortura.

Bruno também manifestou preocupação com a situação dos agentes prisionais. Ressaltou que em cada escala são oito homens para cuidar de 1,2 mil detentos.

Um dos coordenadores da corregedoria de Justiça, Alexandre Takashima, manifestou preocupação sobre a greve dos agentes. Ele defendeu a realização de uma reunião urgente para tratar dos interesses da categoria.

Por volta das 15h30min, o ouvidor nacional estava reunido com familiares de presos da Penitenciária de São Pedro de Alcântara.
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história