Com tempo chuvoso, turista tem que buscar atrações alternativas em Florianópolis Manu Althoff/Arquivo Pessoal

A Praia de Itaguaçu é uma das atrações para os dias nublados em Florianópolis.

Foto: Manu Althoff / Arquivo Pessoal

Se o céu amanhecer cinza, sem chance para o sol ou para uma fugidinha na praia, fica difícil saber o que fazer em Florianópolis, não é? Guia turístico há 41 anos na Ilha, Dorly Moares pensa o contrário. Apesar da falta de sol boicotar parte da atrações, ainda há muito o que apresentar aos turistas. A única opção que está descartada é ficar trancado em casa e sem ter o que fazer.

O guia aposta quando não há chuva, apenas com nuvens, numa caminhada com os visitantes pelo Centro da Capital. Lá, pode-se conferir o Centro Histórico e atrações como a Catedral Metropolitana, a Praça XV, o Mercado Público e a Alfândega. Não dá para esquecer da centenária figueira.

De volta ao ônibus, uma visita às praias do Continente rende fotos e muita conversa com os turistas. Praia de Coqueiros, Itaguaçu e Praia do Meio são obrigatórias em dias com ou sem sol. "Conto que eram as mais visitadas na década de 60 e 70. São praias bonitas", destaca Dorly.

O jeito encontrado por ele para que as pessoas possam conferir a praia mesmo com chuva é fazer um passeio panorâmico com o ônibus, em velocidade lenta para que se possa fotografar, muita conversa e histórias sobre o local. Em Itaguaçu, há pedras de vários formatos e que entusiasmam os visitantes. Com isso, uma dia cheio de atividades já é garantido.

Se o tempo insistir em não abrir, vem uma segunda rodada de programação que inclui uma visita ao Morro da Pedras, na Armação, e a visita ao convento dos Jesuítas, que ainda está ativo. "Com isso, vai aumentando a opção. Mesmo com chuva, tem o que mostrar ", comenta. O Ribeirão da Ilha também não pode ficar de fora do city tour com tempo fechado.

Shopping também é uma opção

Para as empresas Silvetur e Connect Tur, que recebem turistas em Florianópolis, os dias chuvosos remetem automaticamente os visitantes aos shoppings. Os mais procurados são Iguatemi, Floripa Shopping e Beira-Mar.

João Carlos Silveira, da Silvetur, até tenta inovar. Leva os turistas para bares e restaurantes para passar o tempo até que melhore a situação nas praias. A Lagoa da Conceição é uma boa saída gastronômica nestes casos, segundo ele. Em Canasvieiras também há saídas como o passeio no Barco dos Piratas e um passeio nos comércios locais.

Se o problema for apenas o céu nublado, sem a chuva, João não dispensa levar os visitantes no Mercado Público e uma visita demorada no Box 32, onde as pessoas podem curtir bebida, comida e música ao vivo. Segundo ele, o pastelzinho e o chope não podem faltar.

Já Eduardo Victor Fernandes, da Connect Tur, vê o mau tempo na Capital como um grande problema. Normalmente, os clientes da empresa dele vêm obstinados pela praia e qualquer outro destino acaba não sendo tão atrativo. E ir para o Centro pode gerar mais desconforto do que lazer. O grande problema na opinião de Eduardo é o trânsito que impede a circulação tranquila das vans com turistas.

O jeito é buscar os shoppings, mas que rendem passeios apenas por uma manhã ou uma tarde. Também dá para levar os visitantes para bares e restaurantes de Santo Antônio de Lisboa, onde podem passar o tempo num bom ambiente.

Dicas do que fazer em dias nublados e com chuva

No Norte
Compras no Floripa Shopping
Passeio com o Barco dos Piratas em Canasvieiras
Compras no comércio de Canasvieiras
Passar o tempo em bares e restaurante de Santo Antônio de Lisboa

Na área central
Compras no Beira-Mar Shopping
Compras no Shopping Iguatemi
Passeio no Centro Histórico
Visita ao Mercado Público, principalmente ao Box 32
Visita à Figueira, Catedral Metropolitana, Praça XV, Museu Cruz e Sousa e Alfândega
Visita à Beira-mar Norte

No Continente
Passeios e fotografia na Praia de Coqueiros, Itaguaçu e Praia do Meio
Visita às grutas de Itaguaçu

No Leste
Bares e restaurantes da Lagoa da Conceição

Sul da Ilha
Visita à Praia de Armação e ao Morro das Pedras
Passeio no Convento dos Jesuítas, ainda em funcionamento, no Morro das Pedras

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história