Peixe da espécie mero é encontrado morto próximo à Avenida Beira-mar Norte em Florianópolis Daniel Conzi/Agencia RBS

Peixe media 2,5 metros de comprimento e pesava mais de 200 kg

Foto: Daniel Conzi / Agencia RBS

Um peixe da espécie mero apareceu morto nesta quinta-feira de manhã no mar próximo à Avenida Beira-mar Norte em Florianopólis. O animal marinho, que media 2,5 metros de comprimento e pesava mais de 200 kg, foi encontrado perto da Escuna Sul. Devido ao tamanho, o animal foi retirado do mar pela Companhia de Coleta de Lixo com uma retroescavadeira e será encaminhado para a Polícia Ambiental.

O aparecimento do peixe chamou a atenção de pesquisadores. O animal está em risco de extinção. Uma equipe do Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Sudeste e Sul do Brasil (CepSul), de Itajaí, foi mobilizada e iria recolher amostras para determinar a causa da morte. Também foram acionados profissionais do Projeto Meros do Brasil, que atua com pesquisa e na conscientização pela preservação da espécie. 

Os pesquisadores levaram o peixe para o CepSul, e começaram a analisar o material ainda nesta noite. Para a surpresa deles, a fêmea guardava 18 quilos de ovas:

— É um animal muito peculiar. Qual outro peixe guarda essa quantidade de ovas. Provavelmente ela desovaria na próxima semana. É uma pena que morreu antes, porque é um animal em extinção — diz o pesquisador Maurício Hostim, do projeto Meros do Brasil.

Para Hostim, será difícil determinar a causa da morte. O animal não apresentava ferimentos. Pelo estado do peixe, morreu recentemente. As brânquias ainda estavam coradas. O único aspecto que chamou atenção foram os olhos bastante arregalados.

O mero é um peixe que costuma ser encontrado em águas rasas de áreas de coralinas ou rochosas. Vive sozinho e é considerado territorialista. Apesar de ser encontrado na costa do Nordeste do Brasil, tem rota pelo Sul.

Desde 2002 é proibida a pesca, captura, transporte e comercialização do mero pela portaria 121/2002 do Ibama. Quem for pego infringindo alguma destas regras pode ser multado de R$ 700 a R$ 1 mil ou receber detenção de 1 a 3 anos para pescadores.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história