Santa Catarina é destaque nacional em índice de desenvolvimento municipal Charles Guerra/Agencia RBS

Setor metalmecânico foi um dos que mais gerou novos empregos em 2010

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Santa Catarina está entre os três estados brasileiros que têm o maior número de municípios desenvolvidos. O Estado foi destaque no último Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), realizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro com base em dados municipais de 2010.

Confira aqui o infográfico sobre o Índice Firjan

Além de alcançar a classificação de alto desenvolvimento, com média superior a
0,8 pela primeira vez, SC também desbancou o RJ e conquistou a terceira posição no ranking de estados, atrás apenas de SP e PR.

O coordenador geral do IFDM, Guilherme Mercês, gerente de estudos econômicos da Firjan, explica que, para compor o índice, são avaliadas três vertentes com base em dados públicos oficiais: emprego e renda, saúde e educação. Segundo ele, o Estado já possui alto desenvolvimento em saúde e educação e avançou muito em emprego e renda. A geração de novos empregos subiu de 51 mil em 2009 para mais de 100 mil no ano seguinte.

— SC foi o maior destaque do nosso estudo porque atingiu, pela primeira vez, a classificação de alto desenvolvimento, saiu de 0,79 em 2009 para 0,82 em 2010. Todos municípios que figuram no Top 10 possuem alto desenvolvimento, ou seja, acima de 0,8 — explica.

No IFDM com dados de 2010, das 293 cidades de SC, 26 apresentaram alto desenvolvimento. Cinco ficaram entre os cem municípios com maior índice do país: Blumenau, Brusque, Florianópolis, Joinville e Chapecó.

— De forma geral, os municípios de SC mantêm posição privilegiada: 96,6% das cidades possuem índices superiores a 0,6 pontos (283 de 293). No Brasil esse valor representa 63% dos municípios — diz Mercês.

Entre os 10 maiores índices catarinenses, três são estreantes da lista: Jaraguá do Sul, Tubarão e Concórdia. Os três municípios galgaram posições impulsionados por bons desempenhos na vertente emprego e renda.

Comércio e indústria empregaram mais

Os setores que mais empregaram ou aumentaram a renda foram as indústrias metalúrgica, mecânica, de alimentos e bebidas e o comércio. Conforme o presidente do Sindicato da Indústria Metalúrgica, Mecânica e de Materiais Elétricos de Jaraguá do Sul, Célio Bayer, os dados de 2010 representam a retomada do setor após a crise de 2008, mas não devem se repetir este ano.

— Em 2011, tivemos um ano positivo. Mas 2012 vamos fechar levemente no negativo. Talvez isso possa puxar um pouco para baixo os índices futuros — avalia.

Em números absolutos, o comércio foi o que mais abriu empregos. O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) de SC, Sergio Medeiros, afirma que, mesmo 2012 não tendo sido excepcional, o setor mantém o nível de empregos.

Critérios do IFDM
Como o índice da Firjan é apurado utilizando apenas dados públicos oficiais:

Emprego e Renda

Foco
: Mercado formal de trabalho
Critérios avaliados: geração de empregos, estoque de postos de trabalho e remuneração média
(Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego)

Educação

Foco
: Ensino fundamental, educação infantil e qualidade da educação
Critérios avaliados: matrículas na educação infantil, abandono no ensino fundamental, distorção idade/série, docentes com ensino superior, horas/aula diárias e resultado do Ideb
(Fonte: Ministério da Educação)

Saúde

Foco: atenção básica, primeiro nível de contato da sociedade com o sistema de saúde
Critérios avaliados: consultas pré-natal, óbitos por causas
mal-definidas, óbitos infantis por causas evitáveis
(Fonte: Ministério da Saúde)

::: Acesse o PDF que mostra o índice Firjan

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história