Nascimento de bebê afeta desejo sexual de homens e mulheres, aponta estudo Stock.Xchng/Divulgação

Foto: Stock.Xchng / Divulgação

Um novo estudo descobriu que a chegada de um recém nascido em casa não afeta apenas o desejo sexual da mãe, mas também de seu parceiro.

Estudos anteriores sobre sexo após o parto, muitas vezes focados em biologia reprodutiva do sexo feminino, mostraram que as alterações hormonais durante a gravidez e a amamentação podem afetar o desejo sexual das mães. No entanto, um estudo recente esclarece que o mesmo também está acontecendo com os parceiros dessas mulheres que acabaram de ter bebê.

A especialista em pscicologia feminina, Sari van Anders, da Universidade de Michigan, e seus colegas desenvolveram um estudo para examinar a sexualidade pós-parto como um processo social e de relacionamento, com foco nos casais.

Um total de 114 parceiros — 95 homens, 18 mulheres, um não especificado — responderam um questionário online sobre a sua sexualidade durante os três meses após o nascimento de seu filho mais novo.

Os pesquisadores descobriram que os parceiros experimentaram mudanças similares em sexualidade, incluindo altos e baixos. O baixo desejo nos parceiros foi altamente influenciado por fatores relacionados a noites mal dormidas e estresse causados pelos cuidados que um bebê recém nascido exige.

— Nossos resultados ajudam a esclarecer como a experiência de sexualidade dos pais, nas inúmeras formas que são contextualizadas com os parceiros e os relacionamentos de parentalidade — disse Sari.

Os resultados, anunciados nesta quinta-feira, foram publicados em uma edição recente do The Journal of Sexual Medicine.

Pesquisas anteriores descobriram que a natureza regula os níveis de testosterona conforme um homem se torna pai. Enquanto os homens com testosterona alto são mais propensos a encontrar uma companheira, os níveis hormonais caem quando eles se tornam pais que estão envolvidos com seus filhos. Esse estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de Northwestern, nos EUA, foi publicado em 2011 no períodico Proceedings of National Academy of Sciences.

AFP
 Veja também
 
 Comente essa história