Um menino de nove anos cruzou Florianópolis de bicicleta nesta sexta-feira. Pedalou do Bairro Capoeiras, no Continente, até a Trindade, na Ilha, em cinco horas. Conseguiu desviar de atropelamentos e assaltos, mas não havia conseguido escapar da fúria do pai, que o tinha espancado por volta do meio-dia em casa. O motivo da agressão, segundo a Polícia Civil, seria uma nota baixa na escola.

A criança estaria buscando socorro na casa da mãe, como informou o oficial da polícia que foi visitá-lo no Hospital Infantil. A médica plantonista alegou questões éticas para não informar a situação do menino, mas disse que ele deverá ficar em observação. Com machucados pelas pancadas na cabeça e com dor nas costas, o garoto contou à polícia que foi jogado contra a parede. O menino chegou à emergência às 17h27min.

O pai é policial militar e tem dois boletins de ocorrência na 6a Delegacia de Polícia na Capital feitos pela mulher, que informou ter sido ameaçada uma ocasião e agredida em outra.

José Anselmo Pinho tem 18 anos de profissão em ocorrências contra crianças e mulheres e recebeu as informações sobre o caso. Segundo ele, como não ocorreu o flagrante, o Conselho Tutelar foi avisado e será feito relatório. Um inquérito será aberto se a mãe registrar boletim de ocorrência.

– Vamos esperar o laudo do IML (Instituto Médico Legal) que será realizado. Depois posso avaliar com segurança os fatos – disse o policial civil.

Por intermédio da médica que recebeu o garoto, o Diário Catarinense pediu entrevista à mãe da criança. A mulher preferiu não falar. Por isso, os nomes não foram identificados.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história