Empresa mostra jeans que combate celulite em feira têxtil na Colômbia José Vitor de Alcântara Carreira Malheiro/divulgação

Modelo apresenta jeans da linha Canatiba

Foto: José Vitor de Alcântara Carreira Malheiro / divulgação

A fabricante de jeans Canatiba e a empresa de produtos químicos Rhodia chama a atenção durante a feira têxtil Colombiatex, em Medellín, com um tecido inovador. Pela primeira vez, as duas empresas vão vender para o mercado internacional uma calça que promete diminuir a celulite das mulheres em até 30 dias. A pesquisa para a fabricação da tecnologia, patenteada com o nome Emana, durou cinco anos e custou à empresa US$ 7 milhões.

No ano passado, a empresa química encomendou uma pesquisa com o instituto brasileiro Kosmoscience — o mesmo que faz testes para L'Oreal, Unilever e Natura — para comprovar a eficiência do produto. Ao longo de 30 dias — e por seis horas diárias — 28 mulheres participaram do estudo. Depois do período de testes, 60% das convidadas indicaram uma redução da celulite. Em dois meses de uso, 90% das mulheres afirmaram que a pele estava mais lisa e firme..

O desenvolvimento do polímero para o jeans foi feito em 2013, mas a tecnologia era aplicada desde 2008 pela Rhodia em roupas esportivas e para emagrecimento, como Lupo e Track & Field. Mayra Montel, responsável pelo marketing da empresa, explica que o jeans foi o tecido escolhido para receber a tecnologia porque o seu uso é frequente e, em geral, por mais de seis horas ao dia.

— A peça pode ser lavada quantas vezes for necessário, sem que a tecnologia tenha seu efeito diminuído — garante.

A empresa não informou qual será o valor de venda para os consumidores. Fabiana Chaves Lopes, coordenadora de produto da Canatiba, diz que o preço dependerá do número de peças produzidas para a marca interessada, bem como do valor de mercado que ela possui.

Por enquanto, apenas a Canatiba fabrica o jeans com essas propriedades. As marcas de jeans interessadas em inserir a tecnologia em suas colecoes devem comprar a matéria-prima da empresa. 

— A Calvin Klein demonstrou interesse pelo tecido, mas nao há nenhum contrato fechado com a marca — diz.

A tecnologia empregada no jeans brasileiro foi apresentada pela primeira vez em outubro do ano passado, em um evento promovido pela Apex Brasil, em Nova York. Na época, o estilista Alexandre Herchcovitch utilizou o tecido para compor um macacao assinado por ele. As pecas devem ser comercializadas por sua marca de jeans, Herchcovitch, no próximo inverno.

*A jornalista viajou a convite da Colombiatex.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história