Mais um ano escolar se inicia. E com ele muitas dúvidas e preocupações giram em torno da cabeça dos pais. São inúmeras responsabilidades, algumas pertencentes aos pais, outras a escola, mas a grande maioria delas pertencem as duas partes. Veja as dicas de Quézia Bombonatto, psicopedagoga clínica e diretora da Associação Brasileira de Psicopedagogia, ABPp; e da psicopedagoga Elizabete Duarte.  

Todo pai quer dar ao seu filho a melhor educação, mas para isso acontecer é necessário que a escola e eles caminhem de mão dadas, cada um cumprindo seu papel. “Aos pais cabe a responsabilidade em promover a educação, a saúde, o lazer  e os valores familiares, visando o bom  desenvolvimento biopsicosocial do seu filho”, esclarece Quezia Bombonatto. “A responsabilidade dos professores está em garantir a aprendizagem dos alunos, a partir da sua prática, objetivando o seu sucesso escolar. O papel do professor é conduzir o processo ensino aprendizagem dos alunos e dos pais é acompanhar o que o professor  faz,  a partir daquilo que observa  pelas ações e produções do seu filho”, completa.

Por outro lado, pais omissos que não estão nem aí para a educação do filho na escola também podem prejudicá-los.

“A omissão da família se reflete muito fortemente no aluno, que, provavelmente, terá uma atitude de descomprometimento com a escola, gerando até mesmo um desapreço pelas suas atividades e pelo seu espaço.”, alerta Elizabete Duarte.

Nem superprotetores, nem omissos. Os pais devem ser presentes. Participar de momentos importantes da educação. Conhecer a escola, os professores e as pessoas que seu filho convive é muito importante para saber como ele se comporta longe de casa. A reunião de pais é um ótimo momento para isso. “Trata-se do momento oficializado para que a família conheça a situação escolar do seu filho (notas, desempenho, atitudes etc.) e do desenvolvimento dos projetos de ensino da escola. Mas, para além do aspecto formal, a reunião de pais será tanto mais proveitosa, quanto mais oportunidades der para que se estabeleça uma reflexão coletiva entre os membros empenhados na educação dos jovens e crianças envolvidos em tal processo”, explica Elizabete Duarte.

Mesmo com essa parceria, pais e professores se limitam em determinado momento da educação. “Tudo aquilo que diz respeito à educação dos filhos é responsabilidade dos pais, assim o limitar do papel dos pais nesse processo só irá acontecer à medida que os filhos vão crescendo já conseguem sozinhos conduzir suas ações.Já os professores é quem terá limites,  porque seu papel estará restrito àquilo que compete à educação escolar”, diz a psicopedagoga Quezia Bombonatto.

Essa parceria é muito importante. Mesmo a criança em uma ótima escola é necessária a presença dos pais na educação. Escola e pais devem caminhar juntos para um bom desempenho do aluno.
 Veja também
 
 Comente essa história