CPI da Casa Rosa ainda aguarda definições na Assembleia Legislativa Flávio Neves/Agencia RBS

Compra de casa no valor de R$ 123 milhões será investigada na CPI

Foto: Flávio Neves / Agencia RBS

Prevista como a data limite para a apresentação dos nomes por parte dos partidos para compor a CPI da Casa Rosa, que investigará se houve irregularidades na compra do terreno e de um novo prédio para o Ministério Público, a terça-feira ganhou um elemento a mais. A bancada do PMDB questionará nesta quarta de manhã se, apenas com três partidos, o resultado das investigações não corre o risco de ser invalidado na Justiça.

— Já temos os nomes definidos, mas temos uma dúvida se de fato isso não afetará a questão da proporcionalidade — disse o líder do PMDB, deputado Moacir Sopelsa.

Os peemedebistas escolhidos até o momento são os deputados Edison Andrino e Mauro de Nadal. Por parte do PT, o deputado indicado será o autor da CPI, Jailson Lima. Por parte dos partidos menores que assinaram o pedido de criação da Comissão Parlamentar de Investigação, o bloco PPS, PCdoB, PSOL e DEM será representado pelo deputado Amauri Soares (PSOL).

PP, PSD e PSDB afirmaram que não vão participar da comissão. É esse ponto que levantou dúvida na visão do PMDB, já que o regimento prevê a distribuição das vagas seguindo uma proporcionalidade em relação ao tamanho das bancadas. Também falta definir se a quinta vaga na CPI será do PMDB ou do PT.

Definições que aguardam a volta de Joares Ponticelli (PP), presidente interino da AL,  nesta quarta-feira, para dar resposta aos questionamentos ou encaminhá-los à procuradoria da Casa. Ele teve uma agenda em Brasília nesta terça-feira e a presidência foi ocupada interinamento pelo deputado Pedro Baldissera (PT).


Leia também:
 
"A CPI é um instrumento político da Assembleia", diz Lio Marcos Marin
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história