"No Brasil, cada pessoa faz, em média oito buscas no Google por dia", diz líder da empresa em Florianópolis Jessé Giotti/Agencia RBS

Serpa, do Google, falou para público em Florianópolis

Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS

Como as empresas podem utilizam a internet para gerar interesse em uma marca por meio do marketing digital foi o tema da palestra do líder da área Comercial do Google para a América Latina, André Serpa, em um almoço realizado nesta quinta-feira pelo Lide-SC, em Florianópolis.

Intitulada Estratégias de Marketing para um Mundo Multi-telas e Conectado, Serpa destacou, durante o evento realizado pelo grupo de líderes empresariais, no CentroSul, a importância de considerar uma estratégia como forma de atingir o consumidor em diversos meios de comunicação, além da internet.

— Não dá mais para pensar em um estratégia separada para online e offline. Tem de ser pensada toda junta, pois a audiência está fragmentada. Antes, a família sentava-se reunida em frente à televisão para assistir a um programa. Hoje, esta cena continua mas, ao mesmo tempo, essas pessoas estão conectadas em diferentes plataformas — diz.

O executivo do Google no Brasil lembrou ainda que o país é o que passa mais tempo na internet, do que todas as outras mídias juntas. De acordo com os dados apresentados por Serpa, os brasileiros gastam 2,9 horas por dia navegando.

— O mundo faz, hoje, cerca de 5 milhões de buscas por dia. E, no Brasil, cada pessoa faz cerca de oito buscas ao dia. Se estamos acordados, estamos conectados. É preciso ter uma estratégia única para atingir o consumidor para passar a mensagem de forma integrada. Se faço um comercial excelente na televisão, a resposta do consumidor é ir para a internet para saber mais sobre a sua marca e o seu produto. Se vocês não estiverem lá, estarão perdendo espaço para o concorrente ou vendas.

— afirmou Serpa, complementando que a televisão continua sendo o veículo de maior alcance do consumidor.

O Brasil só tem a ganhar com a Copa

A mesa de debates foi composta pelo presidente do Dot Digital Group, Luiz Ferla, e o diretor de Produtos Digitais da RBS, Antonio Coelho. O encontro foi mediado pelo empresário Wilfredo Gomes, presidente do Lide em Santa Catarina.

Para Antonio Coelho, as inovações não são exclusivas das empresas de tecnologia, como a gigante norte-americana.

— Existem inovações em empresas de mídia e de comunicação. E é importante ter isso presente numa discussão de alto nível — diz.

De acordo com Luiz Alberto Ferla, presidente do Dot Digital Group e diretor do Lide Mundo Digital e Educação, não existe um canal ideal para que a empresa se comunique com o público.

— Todas (as ferramentas) têm suas vantagens. Nosso desafio é saber o que as empresas podem fazer para melhorar a visibilidade nesse mundo digital.

Questionado sobre a expectativa do empresariado para a Copa do Mundo, o presidente do Lide-SC aposta no crescimento do turismo durante o Mundial, mesmo Florianópolis não recebendo os jogos.

— Acredito que, mesmo com todos os problemas, o Brasil todo só tem a ganhar — diz Wilfredo Gomes.

O almoço-debate Mundo Digital, sobre tecnologia e inovação, integra o calendário de encontros promovidos pelo Lide Santa Catarina neste ano. De acordo com a entidade, o objetivo é fomentar a discussão sobre o desenvolvimento educacional e social do país.

Empresas multi-telas

Dicas do Google para melhor aproveitamento do marketing digital:

Os vídeos virais que mais fazem sucesso, segundo Serpa, são aqueles que conseguem captar as seguintes questões: a audiência fragmentada, marketing focado no indivíduo e criatividade.
— Vivemos em uma Era em que não queremos mais espectadores, mas fãs. Dentro dessa estratégia, é preciso criar algo importante para o consumidor e que passe a mensagem da marca da empresa.

O consumidor está mais exigente e o processo de decisão de compra não é mais linear, ela vai e volta.
— O consumidor está tomando as decisões com muito mais informações e critérios.

A questão da internet e da interação tem de estar em tudo, principalmente na estratégia da empresa.
— As pessoas têm essa expectativa. Se elas têm interesse, vão atrás da marca em todos os dispositivos, pois elas querem conteúdo e informação.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história