Santa Catarina tem 280 de seus 293 (95,6%) municípios com desenvolvimento alto ou moderado aponta um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). É o terceiro melhor quadro socioeconômico do país, atrás apenas de São Paulo e do Espírito Santo.

O levantamento é do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), a partir de dados nacionais sobre educação, saúde, emprego e renda coletados em 2011. O país, segundo a Firjan, atingiu média de 0,7320 pontos. A escala define que até 0,4 o desenvolvimento é baixo. Entre 0,4 e 0,6, a avaliação é regular.

No intervalo entre 0,6 pontos e 0,8, o desenvolvimento é moderado e, acima desse patamar estão os municípios com alto desenvolvimento. O resultado de SC é 2,7% superior ao do ano anterior e, do país, é 1,8%.

De acordo com o Especialista em Desenvolvimento Econômico da Firjan, Jonathas Goulart, o ranking leva em conta não apenas a renda dos municípios, mas variáveis que vão além do Produto Interno Bruto (PIB). Ele analisa dados que refletem na qualidade de vida da população e gera informações para os gestores municipais.

— É importante saber as causas dos óbitos para definir políticas públicas para diminuir este índice — afirmou.

Cidades melhoram índice e destacam-se

Em relação a 2010, Santa Catarina aumentou em 4,8% o número de municípios com alto desenvolvimento, totalizando 15,4%. O Estado continua com nove cidades entre as 100 melhores posicionadas. Saíram Saudades e Blumenau e entraram Tubarão e Joinville, que deram um salto entre 2010 e 2011. Itajaí, também se destacou, passando de décimo para quinto lugar no ranking estadual.

No nacional, Concórdia e Chapecó continuam liderando. A primeira saltou de 18º para 12º lugar no país. Chapecó passou de 28o para 18o. Entre as capitais, Florianópolis caiu da quarta para a quinta posição, devido à redução no índice na área Emprego e Renda. Para Goulart, o arrefecimento da economia em 2011 foi o responsável pela queda do índice em todo o país.

Goulart afirma que os Estados do Sul geralmente têm bons índices de desenvolvimento, mas ainda há problemas tanto na Geração de Emprego e Renda, quanto na Saúde.

— Notamos uma desigualdade — alerta o especialista.

Bela Vista do Toldo está entre os 23 municípios com índice regular na área de saúde, com IFDM 0,47. É pouco mais do que a metade do índice de Concórdia, o que leva o município a ficar entre os piores resultados, à frente apenas de Cerro Negro.

Os últimos colocados tem índices de Emprego e Renda entre baixo e regular, reflexo da baixa industrialização. Goulart diz que o aspecto econômico pode influenciar, mas não é determinante.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história