Saiba como adotar novos hábitos para economizar energia elétrica  Marcello Casal Jr.,ABR/Agência Brasil

O aumento médio será de 22,62% e começa a valer a partir de quinta-feira

Foto: Marcello Casal Jr.,ABR / Agência Brasil

Após a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em aplicar um aumento de 22,47% na conta de energia para residências no Estado nesta terça-feira, o consumidor deve ficar atento e adotar novos hábitos para reduzir a conta de luz. O aumento médio será de 22,62% e começa a valer a partir de quinta-feira.

Atitudes como desligar a luz antes de sair do local, usar lâmpadas fluorescentes, tirar aparelhos da tomada ao ficar longe de casa e comprar eletrodomésticos e eletroeletrônicos com o selo Procel, que indica ao consumidor os produtos que apresentam os mais altos níveis de eficiência energética, são algumas dicas para reduzir as despesas domésticas com energia elétrica.

Segundo o professor e chefe de Departamento de Economia da Furb, Jamis Piazza, o aumento da energia elétrica vai afetar diretamente o consumidor na próxima fatura de luz, e indiretamente porque todos os produtos terão este acréscimo no preço final da mercadoria. Piazza ressalta que o aumento foi acima das expectativas e que nenhuma classe de produtos teve um reajuste tão alto neste ano:

—  Apesar da mudança, ninguém vai ter aumento no salário. Por isso, o consumidor terá uma queda no poder aquisitivo. Além disso, é preciso ficar atento que haverá ainda aumento de inflação que poderá chegar a 6,9%.

O professor orienta que os consumidores economizem principalmente no fim do ano por conta das altas temperaturas no Vale do Itajaí, já que o ar-condicionado é um dos principais vilões da conta de luz.

— É importante também contratar um profissional para observar se a fiação da casa está adequada e trocar produtos por aqueles que têm menor consumo — explica Piazza.

O Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética traz uma lista na sua página da internet com uma estimativa de consumo médio mensal de eletrodomésticos de acordo com um uso. No topo da lista, está o ar-condicionado tipo janela maior do que 30.000 BTU/h que tem um consumo médio mensal de 679,20 kWh se usado durante trinta dias em uma casa durante oito horas por dia. Os aquecedores e os boilers elétricos também são responsáveis por um gasto alto de energia em casa.

De acordo com o gerente regional da Celesc de Blumenau, Cláudio Varella, o reajuste é justificado pelo gasto que a concessionária teve ao comprar energia e para desenvolver o sistema. Ele explica que nos últimos 12 meses a oferta de energia elétrica de fonte de hidrelétricas foi pequena já que não houve chuva, e a concessionária teve de comprar de termoelétricas:

— A concessionária gastou a mais comprando energia de termoelétricas nos últimos 12 meses e isso se reverteu neste aumento. 

O gerente explica que para economizar, os consumidores devem cada vez usar mais os equipamentos com o selo do Procel, usar racionalmente ferros de passar roupa, diminuir o tempo nos banhos e usar o ar-condicionado com temperaturas entre 22ºC e 23ºC e não mais baixas.

JORNAL DE SANTA CATARINA
 Veja também
 
 Comente essa história