Veja roteiro pelas vinícolas catarinenses Divulgação/Divulgação

Vinícola Villagio Grando, em Água Doce, tem 15 anos de existência

Foto: Divulgação / Divulgação

Dionísio ensinou aos gregos que o vinho impulsiona a vida. Nietzsche, um dos filósofos mais importantes da história, garante que é nesse espírito de embriaguez que vive o homem. Mas é na Serra catarinense que a divagação ganha mercado. Há 15 anos, a Quinta da Neve iniciou a produção de vinhos de altitude, que se diferenciam dos chilenos e argentinos pela acidez, os aromas nem tão adocicados e a textura encorpada. De lá para cá, surgiram outras 28 vinícolas. A maioria está registrada na Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavits), que estabelece como critério que os vinhedos estejam plantados acima de 900 metros de atitude. São 170 rótulos, vários premiados mundialmente. Apenas nove oferecem degustação. Mas, a Casa do Vinho supre a ausência do serviço. As lojas de São Joaquim e Lages trabalham com todos os rótulos e oferecem degustação, com provas de vinhos e valor revertido em bônus de compras. Para degustar basta formar pequenos grupos de visitação e desejar, assim como os gregos, que os deuses te abençoem.

Leia também:
Empresária Daniela Borges de Freitas aposta no potencial da Serra
Leitor de Florianópolis viaja para conhecer Itá, no Oeste do Estado

Florianópolis

Vinícola Abreu Garcia
As uvas foram plantadas em 2006 em Campo Belo do Sul e a loja em Florianópolis foi aberta em setembro do ano passado para comercializar os seis rótulos da vinícola. O diferencial do comércio é o salão de eventos para preparação de jantares e degustação. No local são vendidos acessórios, taças, champanheiras e abridores.

– Os vinhos são degustados em jantares para, no mínimo, oito pessoas ou, no máximo, 22 pessoas, no valor de R$ 144 por pessoa. É preciso agendar um horário.
Informações: www.abreugarcia.com.br

Água Doce

Vinícola Villaggio Grando
A vinícola tem 15 anos. O fundador Maurício Carlos Grando contou com o enólogo Jean Pierre Rosier, formado na Universidade de Enologia de Bordeuax, na França, para trazer as primeiras mudas de uvas do país, plantadas em dezembro de 1998. Hoje a vinícola vende 260 mil garrafas por ano. Só o espaço de degustação recebe 2 mil visitantes por mês.

– Aberta de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h e aos sábados das 13h30min às 18h. Para a degustação é preciso agendar horário. A visitação é gratuita. A taxa de degustação é de R$ 35 (clássica) e R$ 50 (premium). Informações: (49) 3563-1188 e www.villaggiogrando.com.br

Urupema

Vinícola Santo Emílio

Foto: Santo Emílio / Divulgação


A carta de vinhos oferece sete opções. A bebida é produzida em Lages, mas a degustação é na fazenda Quintas do Montes, em Urupema, onde são cultivadas as uvas. Para quem deseja se hospedar há passeios pelos vinhedos. São 17 hectares de plantações, cercadas por hortênsias e araucárias. É cobrado R$ 110 por pessoa com direito a café colonial. O almoço custa R$ 50 e o jantar R$ 40.

– A degustação deve ser agendada. Valores: R$ 40 com tábua de frios, R$ 25 apenas os vinhos. Informações: (49) 3229 - 0486 e www.santoemilio.com.br/vinicolaa.php

São Joaquim

Vinhedos Monte Agudo

Foto: Alessandro Castilhos / Divulgação


A vinícola mescla a produção de vinhos com a receptividade serrana. As degustações são feitas num salão de vidro para que os clientes sintam a força da natureza ao redor. Eles também organizam piqueniques de outono a abril. É preciso ter sol para que eles estendam as toalhas no campo. O cardápio é bem caprichado, com pães e bolos, produção de patês e geleias. Mesas decoradas com flores e frutas recheiam o banquete com doces e tábuas de frios.

– A degustação ocorre nos horários de almoço e jantar, custa R$ 95 para cada refeição e três rótulos são servidos. No pôr do sol o valor é de R$ 55, com cinco rótulos. Informações: (49) 9985-1446 e www.monteagudo.com.br/blog

Vinícola Villagio Bassetti
Há mais de 60 anos o vinho é parte da família Pioli Bassetti, quando em 1949 o avô Juca Pioli construiu a primeira vinícola da família, nos arredores de Curitiba. A mudança para a Serra catarinense foi motivada pelo clima. Eles trabalham com cinco rótulos. Para fazer a degustação é preciso agendar. O valor de R$ 20 pode ser revertido em desconto na compras de vinhos. Informações: (49) 9182-8862 e www.villaggiobassetti.com.br

Vinícola Quinta da Neve
A Quinta da Neve oferece sete vinhos, mas a atração é o pinot noir. Em 2009, o jornalista especializado Jorge Lucki reuniu 27 das melhores uvas pinot noir do mundo e fez uma prova "às cegas". O resultado foi o sexto lugar ao vinho da Quinta da Neve, considerado superior aos dos países do primeiro mundo.O valor da degustação é R$ 25. É preciso agendar a visita. Informações: (48) 9989 - 4114 e www.quintadaneve.com.br

Vinícola Sanjo
A Sanjo é uma cooperativa fundada há 21 anos por 34 fruticultores, a maioria descendentes de japoneses. Hoje são 80 cooperados que produzem 40 mil toneladas de maçãs Fuji e Gala. Em 2002, começou a plantação de vinhedos num sistema de espaldeira, que garante alta qualidade apesar das baixas produções. Horário degustação: 8h30min, 10h30min, 14h e 16h. Informações: (49) 3233-0012 e
www.sanjo.com.br

Confira ainda:
Veja as 10 fotos mais curtidas do Viver SC nas redes sociais
Leia todas as notícias publicadas no site do Viver SC

Treze Tílias

Vinícola Kranz


Foto: Barbara Felder / Divulgação


O grande investimento da Kranz é em tecnologia. Em 2012, venceram o Prêmio Nacional de Inovação. Os equipamentos são importados da Europa e adaptados para obter eficiência, segurança e qualidade nos produtos. Além dos vinhos finos e espumantes, a Kranz produz sucos integrais de maçã, de acordo com os padrões austríacos, já que a cidade foi colonizada por imigrantes da Áustria em 1933.

– Horário de Degustação: das 9h às 12h e das 14h às 18h. Domingo das 9h30min às 12h. É preciso agendar. Valor: R$ 20. Informações: (49) 3537-0833 e www.vinicolakranz.com.br

Videira

Vinícola Santa Augusta

Foto: Santa Augusta / Divulgação


Em 2003 teve início o preparo do solo. No ano seguinte foi o plantio das castas Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Moscato Giallo. Hoje a vinícola ostenta três prêmios: Concurso Mundial de Vinhos no Brasil, Decanter Brazil's - menção honrosa para o Moscato Giallo - e 19º no Concours Mondial de Bruxelles, para o moscatel. Por ano são vendidas mais de 200 mil garrafas.

– O horário de degustação deve ser agendado. Não há valor definido. Os preços são combinados de acordo com a vontade do cliente. É possível marcar almoços. Informações: (49) 3551-7333 e www.santaaugusta.com.br

Para curtir e pedalar na Serra

Atendimento ao turista, divulgação de roteiros e passeios na região, cicloturismo com empréstimo de bicicletas, passeios guiados pelo Morro do Campestre, São Francisco e Cascata Avencal. Tudo isso está disponível na nova unidade do Sesc, em Urubici.

Outra sugestão de parada na região é o Sesc Pousada Rural em Lages. Cercado de muito verde e com uma programação variada, o espaço oferece apartamentos e cabanas. No local, os hóspedes podem participar do plantio de árvores, fazer trilha ecológica e colher frutas no pomar.

O programa Turismo Social ainda promove mais de 450 passeios e excursões por ano para Serra, com saída de diversas unidades do Sesc no Estado. As visitas às vinícolas da região integram os roteiros.

Conheça os roteiros do Sesc em: portal.sesc-sc.com.br/passeios

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história