Catarinenses pedem auditoria das urnas e protestam contra Dilma Rousseff e PT Dagmara Spautz/Agência RBS

Em Balneário Camboriú, cerca de 100 pessoas protestaram na Praça Almirante Tamandaré

Foto: Dagmara Spautz / Agência RBS

Insatisfação e suspeitas com os resultados das urnas nas eleições presidenciais, críticas à gestão de Dilma Rousseff (PT) e diversas outras pautas críticas ao PT motivaram protestos por todo o Brasil neste sábado.

O clima de tensão uma semana após o segundo turno se refletiu também em SC, onde o candidato Aécio Neves (PSDB) fez 64,59% dos votos válidos. Pelo menos três cidades catarinenses registraram manifestações de diferentes tamanhos – todos organizados pela internet.

Em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, uma manifestação pelo impeachment da presidente reuniu menos de 100 pessoas. Cerca de 12 mil haviam confirmado presença no evento pelo Facebook, que ocorreu na Praça Almirante Tamandaré:

 
Foto: Dagmara Spautz/Agência RBS

Vestidos de verde e amarelo – alguns com as caras pintadas ao estilo do movimento que culminou com a saída do então presidente Fernando Collor na década de 90 –, alguns participantes seguravam cartazes pedindo, além da queda da presidente, auditoria nas Eleições e intervenção militar.

Em Joinville, no Norte do Estado, o protesto ocorreu no Centro, iniciando na Praça da Bandeira. Na página do evento no Facebook, a manifestação elenca cinco temas abordados pelo grupo: 1 – Impeachment da Presidente Dilma Roussef; 2 – Fraudes Eleitorais; 3 – Caso Petrolão; 4 – Fim da Impunidade; 5 – Investimentos no Brasil.

 
Imagem publicada no grupo "Anulação da eleição imediatamente! Ou impeachment Já! (Joinville-SC)". Crédito: Douglas Dias, arquivo pessoal

Uma cópia da carta enviada pelos organizadores do protesto à Polícia Militar foi publicada na internet. O grupo que se define um "movimento social organizado, cristão, sem vínculo partidário" afirma que o protesto não teria "vínculos partidários", promoveria ideologias religiosas ou contaria com pessoas mascaradas:

 


Em Blumenau, além do protesto de sábado, ainda houve um ato na noite de sexta-feira, por ruas do Centro da cidade, que reuniu menos de 100 pessoas.

Pelo Brasil

Embora o maior ato deste sábado tenha sido o de São Paulo, onde cerca de 2,5 mil pessoas fecharam a Avenida Paulista, protestos similares foram registrados em diversas partes do país.

O ato na Avenida Paulista foi escoltado pela PM, que organizou uma operação para eventuais confrontos. Agentes se posicionaram pelas ruas laterais ao Masp. O protesto foi organizado pela internet e havia tido a confirmação de 100 mil pessoas:

 
Foto: Miguel Schincariol/AFP

Em Brasília, segundo informações do 6º batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal, houve concentração de pessoas no gramado em frente ao Congresso Nacional no início da tarde. Pouco depois os manifestantes caminharam pelo Eixo Monumental e ocuparam três faixas da via que dá acesso ao Congresso. A PM informou que aproximadamente 500 pessoas participaram do protesto.

No Rio de Janeiro, foi em frente à Assembleia Legislativa. Em Belo Horizonte, na Praça Sete. Em Curitiba, aproximadamente 300 pessoas protestaram no Centro Cívico.

Já em Porto Alegre, uma passeata que deixou o Parque Moinhos de Vento por volta das 14h reuniu cerca de 300 pessoas, segundo a PM. O destino final do protesto foi o prédio do TRE, na rua Duque de Caxias:

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história