Deinfra diz que empresa desistiu de fazer a reforma emergencial da Ponte Hercílio Luz Alvarélio Kurossu/Agencia RBS

Equipamentos seguirão parados na retomada das obras que deveria começar neste mês

Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

O presidente do Deinfra, Paulo Meller, disse na manhã desta quarta-feira que a empresa TDB Produtos e Serviços desistiu de assinar o contrato emergencial para executar a etapa chamada "Ponte Segura". A construtora terminaria de fazer os pilares de aço que darão sustentação à Ponte Hercílio Luz para que ela possa ser restaurada. Mas, de acordo com Meller, o conselho de administração da TDB resolveu não assinar o contrato, na última etapa antes do ínicio das obras.

Leia também:
:::
Hercílio Luz: os detalhes da rescisão do contrato com a Espaço Aberto

— Já estava publicada no Diário Oficial a contratação, eles tinham depositado as garantias financeiras (como prova de que tinham condições de executar a obra). Faltava só a assinatura do contrato mesmo, que é a última instância. Mas aí fui comunicado por e-mail da desistência — disse Meller.

A comunicação foi enviada por e-mail na quinta-feira da semana passada. A mensagem dizia que o conselho administrativo da empresa tinha decidido, por ampla maioria, não assinar o contrato da obra. Funcionários da empresa tinham buscado o contrato no dia anterior no Deinfra para levar o documento ao escritório da empresa no município de Serra, na região metropolitana de Vitória, Capital do Espírito Santo.

— Eu confesso que perdi a cabeça. Sou um cara relativamente calmo. E eu chamei de tudo, até de molecagem. “Vocês tão achando que estão lidando com moleque?” E o próprio presidente pediu um monte de desculpas e disse que também estaria saindo da empresa, que votou a favor no conselho, mas o restante votou contra — disse o presidente do Deinfra.

Desde então, o presidente do Deinfra diz que o órgão conversa com três empresas para tentar encontrar uma solução para realizar a conclusão dessa primeira etapa, ainda de forma emergencial. Em paralelo, segue sendo elaborado o processo de licitação para a obra de restauração das estruturas deterioradas da ponte. A segunda etapa, no entanto, depende da conclusão dessa primeira para que possa ser executada.

A previsão inicial da etapa “Ponte Segura” era ter iniciado a obra neste mês, em novembro, e concluído as estruturas metálicas de sustentação no prazo de seis meses. A TDB Produtos e Serviços até já tinha se envolvido anteriormente na restauração: era subcontratada pela Espaço Aberto para executar a contrução dos pilares. Agora não há novo prazo.

A reportagem procurou a empresa em contato telefônico para questionar sobre a desistência. Ao perguntar sobre se a empresa era a responsável pela obra de restauração da Ponte Hercílio Luz, recebeu como resposta “mais ou menos”. Algum tempo depois, após conversar com seu gerente, a atendente informou que só teria alguém para falar sobre o assunto na TDB após o meio dia.

:: Faltava só a assinatura da parte interessada

Foto: O governador Raimundo Colombo assinou, ao lado de Meller, o contrato no mês de outubro (Crédito: Neiva Daltrozo / SecomSC)
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história