O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) respondeu negativamente ao pedido feito pela corte estadual para que fossem enviados técnicos com programas que, em tese, poderiam ajudar a revelar o destino de cerca de 280 votos perdidos por defeito na urna eletrônica em 5 de outubro. Esses votos poderiam ser suficientes para garantir a reeleição do deputado estadual Dóia Guglielmi (PSDB) — natural de Içara e derrotado por 38 votos pelo correligionário Vicente Caropreso (PSDB).

.:: TRE-SC determina audiência pública para perícia em urna de Içara

Na semana passada, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) determinou a realização de uma audiência pública nesta quarta-feira com a presença de técnicos locais como última tentativa para recuperar os votos da seção 458 da zona 79 — a da urna queimada. Requisitou a presença de técnicos do TSE para decriptografar os dados.

Esse foi o pedido negado hoje, em correspondência assinada pelo presidente do TSE, Antonio Dias Toffoli. O magistrado alega que "a decisão regional se deu à revelia deste Tribunal Superior, sem prévia consulta às unidades técnicas do TSE e sem a orientação deste órgão central para verificar a possibilidade de recuperação dos votos da urna eletrônica".

A juíza eleitoral Bárbara Thomaselli, relatora do caso, vai levar à sessão dop TRE-SC da noite desta segunda-feira o despacho do TSE. A magistrada vai submeter aos colegas a decisão de limitar a audiência pública de quarta-feira aos "procedimentos técnicos que podem ser executados pelos peritos desta Casa já nomeados no mencionado acórdão".

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história