Monitora do estacionamento rotativo de Florianópolis morre após ser baleada em assalto no Centro Charles Guerra/Agencia RBS

Assalto terminou com troca de tiros e morte de monitora de estacionamento

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Uma monitora de estacionamento rotativo da empresa Dom Parking, que administra a Zona Azul da Capital, morreu após ser baleada no Centro de Florianópolis no início da noite desta terça-feira.

Conforme a Polícia Militar, o escritório da empresa foi assaltado, houve troca de tiros e uma das funcionárias foi atingida. O crime ocorreu na Alameda Governador Heriberto Hülse, por volta de 18h30min.

Segundo informações do tenente-coronel Araújo Gomes, comandante do 4º Batalhão da PM, dois bandidos chegaram de moto ao local e renderam todos os funcionários do escritório. Pelo menos um dos criminosos estava armado e levou as vítimas até os fundos do prédio, onde havia um guarda municipal.

Houve então troca de tiros e a monitora Fernanda Mackowiecky Lopes, de 28 anos, foi baleada pelos assaltantes. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Subcomandante da Guarda estava no local

De acordo com informações da PM, o subcomandante da Guarda Municipal, Alex Silveira, era quem estava no local e reagiu ao assalto. Alex estava numa sala nos fundos em uma reunião. Ele teria escutado o tumulto e ao sair para ver o que estava acontecendo se deparou com os ladrões.

O subcomandante da Guarda também foi atingido e sofreu ferimentos em uma das mãos. Ele foi encaminhado ao hospital e não corre risco de morte.

Desesperados, familiares de Fernanda estiveram em frente ao prédio da Dom Parking em busca de mais detalhes do crime. A área foi isolada e a Guarda Municipal e as Delegacias de Homicidios e Repressão a Roubos também auxiliaram a PM no atendimento da ocorrência.

Suspeitos

Após a troca de tiros, os bandidos deixaram a moto na frente do escritório da Dom Parking e fugiram a pé, sem levar dinheiro ou qualquer pertence das vítimas.

A Polícia Militar já tem suspeitos pelo crime e faz buscas pela região central da cidade, mas até as 19h50min ninguém foi localizado. A investigação do latrocínio (roubo seguido de morte) é desenvolvida em conjunto por policiais civis da Homicídios e da Roubos.
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história