Motociclista morre em colisão na Via Expressa Sul, em Florianópolis, nesta terça-feira Guto Kuerten/Agência RBS

Semáforo no trecho apresenta problemas há uma semana

Foto: Guto Kuerten / Agência RBS

motociclista Gilbert Peres, 40, morreu após colisão envolvendo um carro na Via Expressa Sul (SC-401 Sul), em Florianópolis, às 6h20min desta terça-feira. O acidente ocorreu no acesso ao Pantanal, onde o semáforo para quem trafega pela Expressa em direção ao Centro não estava funcionando há cerca de uma semana e foi feito um bloqueio com cones que impedem o cruzamento de acesso ao bairro.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o motorista do automóvel Fiat Uno teria furado o bloqueio dos cones. Ele não se feriu e o outro ocupante também saiu ileso.

Testemunhas afirmam ter visto, no amanhecer desta terça-feira, um motorista tirar os cones. Motoristas, inclusive do transporte coletivo, começaram a usar novamente a entrada para o Pantanal. A maioria acreditava estar liberada em função de o semáforo para quem cruza a Via Expressa em direção ao bairro estar funcionando, algo que quem trafega pela Expressa não consegue perceber.

Segundo o motorista do Fiat Uno, Alex Pinheiro da Silva, 21 anos, o cruzamento estava totalmente desobstruído, sem os cones.

— Vários motoristas estavam indo. Acompanhei o fluxo dos veículos como todos estavam fazendo. Vi que a sinaleira estava aberta. Esperei o motorista da frente passar. Dei um tempo e fui. Foi quando o motoqueiro colidiu no meu carro.

No Blog De Olho Nas Ruas: Tragédia anunciada: motoqueiro morre em colisão com carro em sinaleira com defeito na Via Expressa Sul

Uma faixa da Via Expressa no sentido Centro precisou ser bloqueada para atendimento da ocorrência. Com isso, filas se formaram nos dois sentidos da rodovia.

De quem é a responsabilidade pela manutenção do semáforo?

Há um impasse sobre a responsabilidade pela manutenção do semáforo em questão. Por estar em uma rodovia estadual, a Prefeitura de Florianópolis indica que seria competência do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra).

O Deinfra entrou em contato com o DC para informar que a instalação os semáforos na Via Expressa Sul foi feita pelo orgão, mas a manutenção do equipamento é feita pela Prefeitura.

O procurador-geral do Município, Alessandro Abreu, informou à reportagem que a Prefeitura não é a responsável pela manutenção no local e que o episódio não está relacionado à suspensão dos pagamentos à empresa Focalle, que mantém os semáforos da Capital e teve os pagamentos suspensos pela Prefeitura por estar sendo investigada na Operação Ave de Rapina.

Segundo Abreu, a empresa garantiu que continuará prestando os serviços mesmo sem receber o pagamento. A lei federal 8.666, que regula as licitações, garante a continuidade na execução por parte das empresas contratadas até que o atraso no repasse dos valores chegue a 90 dias.

A montagem e a fiscalização da barreira de cones são de responsabilidade da PMRv.

Por volta das 11h30 o semáforo foi consertado. Nem a Prefeitura de Florianópolis e nem o Deinfra assumiram a autoria do conserto.


Semáforo voltou a funcionar perto do meio-dia desta terça-feira. Foto: Guto Kuerten / Agência RBS

::: Siga o @t24horas e veja informações em tempo real

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história