Pais ajudam a reduzir a ansiedade das crianças com a volta às aulas Diorgenes Pandini/Agencia RBS

Carolina e a filha Laura estão se preparando para a estreia na nova escola

Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

A menina Laura de seis anos enfrentará um grande desafio nos próximos dias. Deixará para trás os colegas da antiga escola, vai responder a chamada para uma nova professora e o parquinho terá outros brinquedos. As atividades lúdicas serão substituídas, aos poucos, por avaliações. Laura ingressará no primeiro ano do ensino fundamental em uma nova escola. Esses desafios inerentes à troca de colégio exigem cuidado redobrado dos pais para evitar ansiedade e facilitar a adaptação dos pequenos, e dos grandinhos também.

 Acompanhe tudo sobre educação e Vestibular em Santa Catarina no blog Caderno Universitário


Mãe de Laura, a funcionária pública Carolina Machado já tem algumas estratégias para ajudar neste processo:

— Destaco os pontos positivos da nova escola. Digo que ela vai estudar com os primos, fazer novos amigos e vai ter aulas de música e teatro. Para ela saber que não vai perder nada, só ganhar — diz.

Carolina afirma que mostrará a estrutura do novo colégio nos primeiros dias de aula e apresentará à nova professora. Ela considera importante que a criança participe da compra de material escolar como uma preparação para a nova fase. A psicopedagoga Joyce Cardoso reforça que os pais também devem se preparar:

— Os pais precisam transmitir segurança, dizer que ir para a nova escola é o melhor para ele. Devem conhecer bem o colégio e ter contato com os educadores para tirar todas as dúvidas. É fundamental ter muito diálogo, falar como vai ser divertido e reforçar que a criança vai fazer muitas amizades e aprender coisas novas.

Esse encaminhamento inicial é fundamental para que a criança consiga conviver e se relacionar com mais segurança no ambiente escolar. Marisa Zanoni Fernandes, doutora em Educação e professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), defende que os pais precisam ver o colégio como um espaço complementar na tarefa de educar os filhos.

— O período que antecede a entrada na escola nova deverá ser de muito diálogo entre a escola e os pais e destes com a criança.

Para Marisa, é importante definir um período de ambientação Para os pequenos, é fundamental ter a presença dos pais e preparar o ambiente com referências da família, como fotografias e objetos.

— O sofrimento gerado para os pais e, em especial, para as crianças é desconsiderado. Há mães que fazem desmame e retirada das fraldas, acrescentando situações que conturbam mais o momento.

DICAS

Antes de começar as aulas

- Inicie o processo de adaptação, falando sempre com animação e segurança da escola

- Não faça a inserção abrupta - reserve tempo para essa transição, como por exemplo, tirar fétias e organizar a agenda para estar disponível.

- Insira aos poucos seus novos horários. Por exemplo, se estudar no período matutino, comece a acordá-lo.

- Leve seu filho para conhecer a escola antecipadamente. Deixe se ambientar durante algum temo, à vontade.

- Deixe seu filho participar da escolha dos materiais escolares, da mochila e lancheira, assim ele vai descobrindo e se motivando com as novidades.

No início das aulas

-
A permanência dos pais em sala de aula pode dificultar a comnpreensão da separação e faz com que as outras crianças também queiram que seus pais fiquem na escola. O ideal é que essa conversa seja feita em casa ou em outro espaço da escola.

- Mas se for extremamente necessária a presenla, que seja po pouco tempo e que não tenha interferência durante as atividades. Aproveite o momento para criar vínculos de confiança entre colegas, professora e seu filho.

- O tempo da adaptação varia muito. O importante é que seja realizada com confiança e paciência. Cada criança tem seu tempo.

- Nesse período ocorre o choro, mas não significa necessariamente que a criança não queira ficar na escola. Evite levar seu filho de volta para casa, pois ele vai associar o choro ao retorno e vai repetir.

- Seja carinhoso, escute as angústias e novidades. Participe das primeiras semanas levando ou buscando seu filho.

- Não chore ao deixar a criança. Isso passa a mensagem de que o lugar não é bom. /

- Não exagere na despedida, como sair e voltar, ficar escondido na escola ou olhando de longe.

- Depois de dois meses, se a criança não se interessa pela escola, fala obre colegas ou chora sempre, é um sinal de alerta. Converse com a professora, acompanhe o comportamento do seu filho com outras crianças e, acima de tudo, converse com ele.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história