Após dois meses, assaltantes que atiram na PM e explodem bancos voltam a agir no interior de SC Divulgação/Divulgação

Ataque em Pouso Redondo é o sétimo assalto a banco com violência nos últimos meses, no interior.

Foto: Divulgação / Divulgação

As polícias Civil e Militar de Santa Catarina buscam pistas sobre a quadrilha que, após dois meses de trégua, voltou a levar terror a uma pequena cidade do Estado num ataque a banco. Agora, desde abril, já são sete ataques violentos e com a polícia sendo encurralada por criminosos nas regiões da Serra, Planalto Norte e Meio-Oeste.

Com armas pesadas, assaltantes dispararam mais de 20 tiros de fuzil contra o quartel da Polícia Militar em Pouso Redondo, cidade de 16,1 mil habitantes no Alvo Vale do Itajaí.

O ataque aconteceu às 2h45min da madrugada de sábado. Enquanto um grupo de ladrões encurralava a tiros os dois únicos policiais de serviço, outro grupo explodia a agência do Bradesco, fugindo com o dinheiro dos caixas eletrônicos - a unidade da PM fica a cerca de 500 metros do banco.

Segundo a PM local, a suspeita é que os assaltantes estavam em três veículos e sejam de fora da região Foram encontradas 21 cápsulas de fuzil, calibre 556 - no sábado, a informação é que teriam sido utilizadas espingardas calibre 12.

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) investiga o assalto em conjunto com a Polícia Civil local.

Segundo o delegado Anselmo Cruz, da Divisão de Roubos e Antissequestro, a princípio não seria a mesma quadrilha dos últimos ataques no interior em razão do armamento ser diferente. Anselmo lamentou a ausência de filmagem pela agência.

O último roubo no interior havia sido no dia 30 de junho, em Timbó Grande, no Planalto Norte, onde a quadrilha agiu com fuzis Ak 47 e fez reféns como escudos humanos na fuga.

As outras cidades alvo foram São Cristóvão do Sul, Irani, Seara, Campo Alegre e Santa Cecília. A direção da Deic afirma que há um grupo de policiais atuando na investigação da quadrilha.


Assaltantes com armamento pesado agem no interior.

Violência no interior

A onda de ataques a banco e contra a PM em cidades pequenas

29 de agosto: Pouso Redondo -
16.154 habitantes
Ataque contra o posto da PM e explosão do Bradesco.

30 de junho: Timbó Grande - 7.563 habitantes
Invasão com reféns ao Banco do Brasil. PM acompanha a distância.

28 de junho: São Cristóvão do Sul - 5.308 habitantes
Ataque contra o posto da PM e explosão do Banco do Brasil.

14 de junho: Irani - 10.033 habitantes
Ataque contra o posto da PM e explosão do Banco do Brasil e Santander.

5 de maio: Seara 17.395 habitantes
Troca de tiros nas ruas com PMs e explosão do cofre do Banco do Brasil.

24 de abril: Campo Alegre - 11.982 habitantes
Ataque contra o posto da PM (54 tiros) e explosão do Banco do Brasil

1º de abril: Santa Cecília - 16.413 habitantes
Os PMs decidem não confrontar os bandidos que estavam com fuzis e explodiram o Banco do Brasil.

VÍDEOS mostram ação dos assaltantes em Timbó Grande
Mapa mostra os assaltos a banco nos últimos três meses
Quadrilha faz quinto ataque a banco no Interior de SC
Veja mais notícias sobre assaltos a banco em SC

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história