Bom uso da tecnologia na educação destaca Florianópolis na lista de cidades inteligentes Marco Favero/Agência RBS

Lousa digital, matrícula online e capacitação de professores são motivos para o reconhecimento

Foto: Marco Favero / Agência RBS

O bom uso de tecnologias dentro e fora de sala de aula e a inovação em processos de gestão levaram Florianópolis a conquistar a primeira colocação em Educação no levantamento de Cidades Inteligentes do país, com população de 100 mil a 500 mil pessoas. O ranking, realizado pela consultoria Urban Systems para a revista Exame, destaca a Prova Floripa como uma das ferramentas de sucesso na administração municipal.

A avaliação é aplicada anualmente para verificar o aprendizado no ensino fundamental e permite a comparação do desempenho dos alunos na rede. O secretário municipal de Educação, Rodolfo Pinto da Luz, ressalta que Florianópolis se destaca pela alta qualidade de vida, grau de formação profissional, tecnologia e renda. Os investimentos feitos para a informatização das escolas foi determinante para o resultado.

– O investimento nos permite conhecer o perfil dos nossos alunos e da família, melhorando a atuação perante a comunidade escolar – afirma o secretário.
 
Resultado positivo, mas há como melhorar


Para a coordenadora do Observatório de Práticas Escolares da Udesc, Geovana Lunardi Mendes, Florianópolis tem a preocupação de melhorar a infraestrutura tecnológica da rede de ensino, o que é muito positivo. Mas destaca que o grande desafio é uso pedagógico destes dispositivos tecnológicos:

– O município precisa potencializar as ferramentas para a construção de aulas mais criativas e de conhecimento.

Florianópolis também se destacou com a segunda posição em Saúde e a terceira em Economia. A cidade foi considerada uma das mais atrativas para as empresas, devido à alta presença de mão de obra qualificada e investimento tecnológico na área da educação. Conforme a pesquisa, 40,7% dos trabalhadores possuem ensino superior: a média nacional é de 18,5%.

O Ranking Geral de Cidades Inteligentes e Conectadas avaliou 700 municípios para apontar os 50 mais desenvolvidos em nove áreas: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, saúde, segurança, educação, empreendedorismo, tecnologia e inovação. O presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção, diz que a pesquisa poderá despertar o setor público e privado.

– É preciso que representantes tenham consciência dos investimentos e aprimoramentos que devem ser realizados nas diversas áreas mapeadas.


DIÁIRO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história