Funcionários da Comcap entram em greve e suspendem recolhimento de lixo Divulgação/Divulgação

Foto: Divulgação / Divulgação

Os funcionários da Comcap, empresa responsável pelo recolhimento de lixo em Florianópolis, decidiram em assembleia na manhã desta terça-feira entrar em greve. De acordo com a Comcap, os trabalhadores já pararam de prestar o serviço.


Uma reunião entre prefeitura, Comcap e Sintrasen no final da manhã tenta resolver a situação sem que a paralisação se alongue. A principal reinvindicação dos funcionários é a apresentação de um cronograma de pagamento das dívidas com o INSS e com o FGTs.


— O débito de um ano no INSS e de alguns meses no FGTS pode ser parcelado ou pago à vista. Sabemos que a prefeitura não tem dinheiro para pagamento à vista, o que queremos é que o prefeito assuma um compromisso de pagar esse débito — explicou o presidente do Sintrasen, Alex Santos à Rádio CBN/Diário.


O pedido de que a dívida seja assumida pela prefeitura acontece porque eles são o maior acionista da empresa e por isso pode financiar esse tipo de dívida. O prefeito César Souza Junior (PSD), no entanto, se mostrou revoltado com a greve. Segundo ele, essa paralisação é uma "banalização, um sindicalismo selvagem".


— Vamos buscar apoio no Judiciário. Esse greve é totalmente sem sentido. Não existe um centavo atrasado em nenhum salário. Muitas empresas estão rediscutindo dívidas com o INSS e íamos fazer isso com calma. Não havia razão para essa paralisação — diz o prefeito de Florianópolis à rádio CBN/Diário.


A prefeitura ainda não informou que ações serão tomadas para minimizar os prejuízos para a população. O que foi pedido é que apenas o necessário seja depositado na rua enquanto durar a greve da Comcap.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história