Grevistas no INSS de Joinville pedem concurso público para mais contratações Salmo Duarte/Agencia RBS

Sindiprev-SC afirma que a greve é parcial e que a entidade pretende resolver a situação assim que receber uma proposta formal às reivindicações

Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

"Somente perícias agendadas", avisam cartazes espalhados pelas vidraças do prédio do INSS de Joinville. Desde o dia 7 de julho, quem precisa do sistema público previdenciário dá com a cara na porta ou sai do local com o número 135 anotado em um papel. No momento, os funcionários do atendimento ao público são os que mais aderiram à greve na cidade.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal de Santa Catarina (Sindiprev-SC) afirma que a greve é parcial e que a entidade pretende resolver a situação assim que receber uma proposta formal às reivindicações.

Saiba como as greves no Hospital São José e INSS já afetaram os joinvilenses

Claudemir Abate sofreu um acidente de moto no dia 17 de julho. Quebrou três ossos da perna, incluindo o fêmur, e está afastado das atividades profissionais. Ele precisa passar por perícia para continuar recebendo o benefício mensal. Nesta terça-feira, ele esteve no INSS de Joinville para pedir o benefício, mas o sistema não estava em operação e, o nome dele, fora da lista de agendamento.

Ana Paula Mendes é operadora de produção. Ela chegou depois de Claudemir ao atendimento e saiu de lá com o número 135 na mão — o telefone da Central de Atendimento da Previdência Social. Ana Paula quer prorrogar o pedido de auxílio doença ao qual teve direito depois de passar por cirugia para retirada de um cisto em um dos dedos da mão esquerda. Não conseguiu resolver o caso e vai ter que ligar para a central de atendimento na tentativa de agendar um novo horário para ser recebida.

Mas nem todos saem do local de mãos vazias. Rosângela de Souza, mãe de João Vitor Becker, de 13 anos, conseguiu o que queria. Ontem, ela entrou no prédio às 10 horas e saiu uma hora depois com o papel que assegura ao filho a renovação do passe de ônibus. Ele tem atrofia em uma das pernas e já passou por 20 cirurgias.

Sindiprev reivindica concurso

Cartazes antes da chegada ao atendimento explicam que nove servidores da agência central do INSS de Joinville já podem se aposentar. Para suprir a demanda por atendimento, o Sindiprev reivindica concurso público. Além de mais servidores, está na pauta de reivindicação o reajuste salarial, a incorporação das gratificações, a paridade salarial entre ativos e aposentados e a busca por melhores condições de trabalho.

Diante da falta de consenso e do tempo prolongado da greve, o Supremo Tribunal Federal (STJ) definiu, em liminar, que 60% dos servidores da gerência executiva devem retornar aos postos de trabalho. O sindicato formula recurso contra a decisão, enquanto tenta receber uma proposta formal para apresentar à votação dos grevistas em assembleia.

A NOTÍCIA
 Veja também
 
 Comente essa história