Depois de mais de 19 horas de julgamento Vilma Fachini Scoz foi condenada a 18 anos e 8 meses de prisão por ter mandado matar o marido, Humberto Scoz, em julho de 2010 em Rodeio, no Médio Vale do Itajaí. A sessão começou às 8h de quinta-feira, no Fórum de Ascurra, e terminou só às 3h10min da madrugada desta sexta-feira. Vilma foi condenada por homicídio qualificado e foi reencaminhada ao presídio de Itajaí, onde já estava detida.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Vilma contratou José Leite de Oliveira e Marcelo Machado para matarem o marido, que era tabelião na cidade. Humberto levou três tiros, sendo dois nas costas e um na cabeça. Marcelo foi condenado em maio de 2015 a 13 anos de prisão. Já José Leite se matou no presídio onde estava e não chegou a ser julgado.

Ainda de acordo com o MP, Vilma estava desconfiada de traição e contratou um detetive particular para acompanhar a vida do marido. O flagrante ocorreu em 2008. Os dois se separaram, mas continuaram morando juntos. Ela teria planejado a morte dele depois de não ter conseguido a separação judicial. Vilma e os dois homens foram presos meses depois.

Os advogados de defesa, Jeremias Felsky e Edileia Buzzi, foram procurados para informar se vão recorrer da sentença, mas não foram encontrados.

JORNAL DE SANTA CATARINA
 Veja também
 
 Comente essa história