Para grandes empresas ou apenas uma pessoa criativa: quatro caminhos para quem quer inovar Julio Cavalheiro/Secom

O ministro dee Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, e o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, participaram do lançamento das ações

Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Para tentar ajudar a desenvolver propostas de novas tecnologias e inovação de processos, órgãos do Poder Público estadual e federal estão deixando recursos disponíveis tanto para grandes empresas que queiram desenvolver um novo tipo de produto quanto para a pessoa que tem apenas uma boa ideia e quer tirá-la do papel. São quatro "caminhos" que foram apresentados no evento "Fomento à Inovação SC", realizado nesta quinta-feira em Florianópolis.

Criação de núcleo de investidores anjos aumenta apoio a empresas catarinenses inovadoras
Projeto Sapiens Centro: estímulo à tecnologia para revitalizar o centro histórico de Florianópolis

O caminho para quem já tem uma empresa é buscar o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A instituição pode emprestar até R$ 20 milhões para projetos inovadores e há uma linha, conjunta com a FINEP, que permite emprestar até R$ 150 mil de forma rápida, sem muita burocracia.

— O Brasil precisa de inovação sempre. Ela é a chave da competitividade da economia no mundo. Um país que quer ser competitivo tem que basear seu esforço na capacidade de inovar em processos, em produtos, em serviços e em gestão pública — disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, presente no evento.

Os outros dois caminhos são iniciativas do governo estadual. Um é um programa que escolhe boas ideias e ajuda, com recursos, seu criador a se tornar um empresário: o Sinapse da Inovação. O outro é um prêmio que dá recursos a iniciativas que se destacaram dentro da ciência e da tecnologia, um incentivo para que pesquisadores e empresas continuem buscando soluções inovadoras (mais informações abaixo).

Contemplado

Mauro Stumpf, de 54 anos, foi um dos empresários que já se beneficiou do projeto. A empresa que ele está criando em Chapecó, a Fibervita, recebeu R$ 10 milhões dos R$ 56,4 repassados para oito projetos no evento (ver mapa). Irá construir uma fábrica que utilizará as sobras do empresas do Paraná, que produzem fécula de mandioca.

Hoje jogados fora, esses restos de mandioca vão se tornar fibras dietéticas naturais que poderão ser acrescentadas a bolachas, cereais ou outros tipos de alimentos industrializados. A ideia é começar a produção em dez meses.

— Todos alimento elaborado nos EUA tem que ter um percentual de fibras, por exemplo. Acreditamos que temos um grande mercado — disse Stumpf.

Veja todos os contemplados pelo financiamento de R$ 56,4 milhões



Oito startups de SC são selecionadas para missão ao Vale do Silício

Recursos públicos para criar empresas inovadoras

Dois editais com recursos do governo do Estado e desenvolvidos pela Fapesc também foram lançados nesta quinta-feira. Eles ficam com inscrições abertas nos próximos meses, mas um é para quem quer começar e o outro é para reconhecer boas iniciativas já existentes.

O Sinapse da Inovação tem como objetivo transformar até 100 ideias em negócios inovadores, sejam eles produtos, processos ou outras inovações. Pode ser apenas um projeto no papel, não é necessário ter empresa constituída para se cadastrar. Cada contemplado poderá receber até R$ 60 mil. As inscrições abrem dia 21 de setembro de 2015 e devem ser nas nas áreas de TIC, Eletrônica, Mecatrônica, Química e Materiais, Nanotecnologia, Biotecnologia, Gestão, Design e Tecnologias Sociais.

— É um avanço importante na nova economia. Santa Catarina tem 1,2% do território do Brasil, então tem que ser criativo nesse espaço. E o setor de tecnologia tem um potencial imenso — disse o governador Raimundo Colombo, também presente no ato.

A Hórus Aeronaves é uma das empresas que surgiu por causa do programa. Com os recursos do Sinapse da Inovação, eles deram o primeiro impulso na criação de um negócio, em Florianópolis, que utiliza drones para várias funções. Uma das mais inovadoras é bater fotos aéreas para criar mapas em alta definição.

— Foi o primeiro recurso que a empresa conseguiu. Com esse capital, construímos os primeiros protótipos que hoje a gente vende — diz Fabrício Hertz, 27 anos, um dos fundadores da Hórus.

Já o edital do Prêmio Caspar Erich Stemmer, a sexta edição do programa, reconherá pesquisadores protagonistas em inovação e empresas de micro e pequeno porte. Nas duas categorias, a premiação máxima é de R$ 60 mil. As inscrições vão de setembro até o primeiro dia do mês de dezembro.

UFSC terá centro tecnológico dentro do Sapiens Parque em Florianópolis

Conheça mais dos programas

Finep Inovacred Expresso
Voltada para micro e pequenos empreendedores. Financia projetos até R$ 150 mil.
Prazo para pagamento de até 48 meses, incluída carência de 6 a 12 meses.
Juros de TJLP + 3% ao ano.
 
BRDE Inova
Linha pode realizar financiamentos de projetos no valor de até R$ 20 milhões e até agora já contratou R$ 204 milhões em projetos inovadores de crédito para apoiar a inovação em ambiente produtivo na Região Sul. Para projetos de tecnologia e indústria.  Os juros variam, conforme o valor, de 6,5% ao ano até TJLP+1% ao ano.
 
6ª edição do Prêmio Stemmer de Inovação.
Repasse de R$ 210 mil nas categorias protagonista da inovação e micro e pequenas empresas. Três premiados em cada categoria: R$ 60 mil, R$ 30 mil e R$ 15 mil, respectivamente, para primeiro, segundo e terceiro lugar.

Sinapse da Inovação
Empreendedores selecionados serão contemplados com uma subvenção de 60 mil reais via FAPESC para aplicar no desenvolvimento do produto ou serviço e estruturação da empresa, além de outros benefícios oferecidos pelos parceiros do programa. Serão escolhidas 100 ideias em negócios inovadores.

Oito startups de SC são selecionadas para missão ao Vale do Silício

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história