Quarto homicídio é registrado em Chapecó e PM reitera falta de necessidade de operação especial Márcio Cunha/Especial

Em fevereiro de 2014, PM, PC e PRF realizaram uma operação especial em Chapecó

Foto: Márcio Cunha / Especial

A Polícia Militar registrou um quarto assassinato em Chapecó na noite deste domingo. Um homem não identificado levou um tiro na Rua João Aurélio Turati, no bairro São Pedro, por volta das 21h. O suspeito de comer o crime fugiu em um um veículo branco. Com esse, Chapecó já registrou 32 assassinatos em 2015.

Chapecó tem três assassinatos em menos de sete horas neste fim de semana

Antes do registro de mais essa morte, a Polícia Militar afirmou que não planejava uma operação especial como a vista em fevereiro de 2015 já que se o número era "atípico e não refletia um aumento da violência".

Nesta segunda, o comando reafirmou a ideia e disse que os quatro casos se configuram como um acerto de contas ou desavenças. Segundo a PM, os suspeitos de terem cometido os três primeiros crimes já foram identificados e o do quarto está em fase de investigação.

— Esses casos específicos são fruto de desavenças, não de uma escalada de violência. Uma ação especial não iria repreender esse time de crime. O que estamos fazendo neste momento é aumentando as apreensões de armas, que em agosto bateu o recorde de 26 — diz o soldado Aérikison Rifam Laurindo, relações públicas da PM de Chapecó.

Média de homicídios caiu para um a cada 24 dias depois de operação especial

Ainda segundo a PM, as duas vítimas de sábado e a primeira de domingo tinham passagens pela polícia, por crimes como roubo, tentativa de homicídio, lesão corporal e violência doméstica. Dois deles foram atuados por ameaças contra os suspeitos dos crimes deste fim de semana.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história