Reabertura do Mercado Público: Uma canção em homenagem ao patrimônio de Florianópolis Diorgenes Pandini/Agencia RBS

Música de André Calibrina vai poder ser conferida no final da tarde de hoje no www.diario.com.br

Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

André Calibrina não é nenhum bocó. Um dos cariocas que mora na Ilha de Santa Catarina, o sargento aposentado da Base Aérea de Florianópolis é um dos ilustres frequentadores do Mercado Público. Músico na banda da BAF onde toca tuba, tornou-se conhecido como o homem do Ó lhó lhó lhó lhó por ser autor do Hino do Manezinho. Em versos como sou manezinho mas não sou nenhum bocó exalta o modo de viver e de se relacionar dos nativos da Ilha. Para o maestro Calibrina, a reabertura da ala sul significa a devolução à cidade do espaço mais importante de Florianópolis.

Reabertura do Mercado Público: correria até os últimos instantes
Reinauguração terá alterações no trânsito e show nacional

A vida da cidade passa pelo Mercado: alimentação, loterias, conversa de políticos, boa música. Nesse tempo em que o mercado não funcionou teve gente que empobreceu e até doente ficou:

— É no mercado que bate o coração da cidade. Aqueles tapumes deprimiam a gente — diz o maestro.

Foto: Diorgenes Pandini

Dono de bom humor que carrega para composições de sambas e marchinhas, Calibrina aproveitou os últimos dias sair do “retiro espiritual” na Costeira do Pirajubaé, onde mora, e retornar ao Centro para rever os amigos e se atualizar das notícias sobre a nova estrutura. Foi então que aceitou a provocação de compor uma música para este momento, ao qual chama de Celebração, uma homenagem “ao nosso bom e velho Mercado”, como define.



Novo logo do Mercado Público de Florianópolis é escolhido por internautas

No final da tarde desta terça-feira, dia 4, a canção pode ser conferida em www.diario.com.br. Para o maestro, a cidade precisava de um mercado bonito, moderno e confortável. Mas deseja que o novo mix não tire a sua essência:

— Gostaria muito que antigos comerciantes, como é o caso do Alvim, voltassem para o mercado.

O lugar onde o box 1 funcionou por 57 anos, sob o comando de Alvim Nelson Fernandez da Luz, foi ocupado por outro comerciante que disputou a concorrência.

Mercado Público vai abrir um domingo por mês a partir de agosto

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história