Vestidos de preto, moradores de Itapema saem às ruas em protesto por mais segurança Marcos Porto/Agencia RBS

Moradores pararam as ruas centrais para protestar

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

Itapema parecia estar em luto na tarde desta quinta-feira quando dezenas de moradores foram às ruas vestindo camisas pretas. O motivo, na verdade, era um protesto por mais segurança. Com 3,6 mil ocorrências registradas entre janeiro e julho deste ano, a cidade já contabiliza 12 homicídios e 900 roubos/furtos em 2015. O número preocupa os moradores, que resolveram se mobilizar para chamar a atenção do governo do Estado.

— Nosso protesto é por mais efetivo policial, a construção da nova delegacia de polícia, por uma guarda armada, monitoramento nas ruas e uma melhor estrutura para a Polícia Militar — explica o presidente da Associação Empresarial de Itapema (ACITA) e um dos organizadores da ação, Gelson Ritter.

O protesto começou por volta das 15h com um buzinaço. Na sequência, os manifestantes fizeram uma passeata e pararam em frente a um shopping da cidade. Onde, sobre a faixa de segurança, reivindicaram melhorias na segurança do município. Conforme a PM, pouco mais de 150 pessoas participaram do ato.

— Além do protesto, vamos fazer um abaixo-assinado, participar de uma sessão na Assembleia e marcar uma audiência com o governador. Itapema foi uma das cidades que mais cresceu nos últimos anos e estão tirando nosso efetivo — reclama Ritter.

Há aproximadamente 45 dias, entidades empresariais e moradores estão se organizando para pedir mais segurança. Conforme o presidente da ACITA, o grupo já conquistou alguns resultados positivos, como a criação do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), a doação do terreno para a nova delegacia e criação de polícias comunitárias.

Principal reclamação é sobre a falta de efetivo

A principal reclamação dos moradores que participaram do protesto é a falta de efetivo, tanto da Polícia Militar quanto da Civil. O corretor de imóveis Cassiano Massotti diz que tem medo de assaltos, falta de respaldo da polícia e segurança.

— Hoje a gente está à mercê da bandidagem. A gente tem um número de policiais muito abaixo do que necessita, precisa de mais efetivo e maior poder de investigação para a Polícia Civil — afirma.

A advogada Mel Góes também reclama da situação e ressalta que Itapema vive um caos na segurança pública:

— O poder público tem que nos apresentar uma solução. Não é possível nem caminhar com a família à noite no calçadão, porque é muita insegurança.

PM diz que criminalidade caiu

O comandante da Polícia Militar de Itapema, tenente Geraldo Rodrigues Alves Junior, ressalta que desde maio os índices de criminalidade vêm diminuindo na cidade. Segundo ele, iniciativas como a da população são sempre válidas, mas muitas vezes demoram a ter um efeito positivo. (Colaborou Bianca Ingletto, RBSTV)

— A questão do efetivo é um problema que ocorre em todas as cidades do Estado. Mas nós temos conseguido baixar os índices de criminalidade. Claro, que quando os crimes repercutem aumenta a sensação de insegurança. A criação do PPT, por exemplo, já está tendo bons resultados — explica.

Números de Itapema (janeiro a julho de 2015):
- 3.600 ocorrências
- 12 homicídios
- 180 agressões
- 900 roubos / furtos
- 640 chamados não atendidos

O SOL DIÁRIO
 Veja também
 
 Comente essa história