Claudio Loetz: investimentos produtivos da indústria serão feitos no Brasil, diz ministro da Alemanha Salmo Duarte/Agencia RBS

Machnig disse que investimentos serão feitos porque o Brasil é um importante e estratégico parceiro

Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

A Alemanha está disposta a ajudar a economia brasileira a se desenvolver e, sim, os investimentos produtivos da indústria serão feitos no Brasil porque o país é importante e estratégico parceiro da Alemanha.

Essa síntese das expectativas positivas do governo da nação mais rica e influente da Europa veio na fala do vice-ministro da Economia e Energia, Matthias Machnig, em seu discurso na abertura do 33º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, em Joinville.

Confira a página especial sobre o Encontro Econômico Brasil-Alemanha

Claro que também fez a natural cobrança por redefinição em diferentes aspectos técnicos e jurídicos relacionados a interesses empresariais de ambos os lados.

O ministro do Desenvolvimento Econômico e de Comércio Exterior do Brasil, Armando Monteiro, falou que "vivemos  uma transição" e que está em curso o realinhamento cambial e de preços administrados por conta de eliminação de subsídios e redução de desonerações tributárias.

Alemães mostram confiança no Brasil e na recuperação política e econômica do país na abertura do Encontro Econômico
Claudio Loetz: Ministro assina acordo com alemães em Joinville
O que o Brasil pode aprender com o sistema de ensino alemão


— Temos consciência de que é preciso encaminhar bem essa transição. Admitiu que as reformas estruturais foram adiadas porque vivíamos anos de bonança — destacou.

Monteiro aproveitou para elogiar os visitantes ao afirmar que, neste momento de transformação, devemos ter o modelo de desenvolvimento industrial alemão como referência.

Três aspectos dominam a atenção do Ministério do Desenvolvimento: expansão das exportações, melhoria de infraestrutura, com busca por investimentos estrangeiros - inclusive alemães - e aumento de produtividade.

As futuras concessões para portos, aeroportos e ferrovias devem receber US$ 50 bilhões. Detalha: o plano nacional de exportação tem por objetivo a simplificação tributária e a criação de portal único com informações sobre comércio exterior, algo que só se materializará, de fato, em 2017.

 

Intercâmbio com Turíngia

Santa Catarina e o Estado alemão da Turíngia assinaram protocolo de intenções que prevê o intercâmbio de informações e experiências nas áreas científica e tecnológica, acadêmica, cultural, econômica e comercial. A parceria foi firmada, em Joinville, durante o Encontro Econômico Brasil-Alemanha.

Assinaram o acordo o governador do Estado de Santa Catarina, Raimundo Colombo; o ministro da Economia, Ciência e Segurança Digital do Estado da Turíngia, Wolfang Tiefensee (ao centro); e o embaixador da Alemanha no Brasil, Dirk Brengelmann.

A NOTÍCIA
 Veja também
 
 Comente essa história