Cunha diz que atuará no STF para promover a verdade sobre as denúncias Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, deputado Eduardo cunha (PMDB-RJ), disse nesta quarta-feira que não iria comentar as denúncias de que teria sido remetido ao Brasil, pelo Ministério Público da Suíça, procedimento investigatório supostamente relacionado a ele.

— Não vou comentar, porque não vi nada. O dr. Antônio Fernando de Souza [advogado de defesa de Cunha] vai emitir uma nota — informou.

Cunha já indeferiu três pedidos de impeachment

— Não falo sobre esse tipo de situação. Está muito claro para mim que a cada dia sempre surge uma coisa nova. Minha escolha já está feita há muito tempo. O terreno que tenho para atuar e poder promover a verdade dos fatos será sempre o Supremo Tribunal Federal e meu porta-voz será sempre meu advogado. Não há o que falar. Não falarei. Amanhã vai surgir outra e depois de amanhã mais uma.

Suíça bloqueia conta que teria Cunha como beneficiário

Em nota à imprensa, o advogado afirmou que "a defesa do deputado Eduardo Cunha desconhece qualquer procedimento investigatório realizado naquele país [Suíça]. Por tal razão, está impedida de tecer comentários acerca dos supostos fatos noticiados."

Em outro trecho, o documento esclareceu que a defesa do deputado Eduardo Cunha "está pronta para prestar os devidos esclarecimentos que se façam necessários, mas mantendo a postura de se manifestar exclusivamente nos autos de processos e caso formalmente questionada pelas autoridades competentes."

 Veja também
 
 Comente essa história