Durante cumprimento de mandados, PF encontrou dinheiro escondido em urso de pelúcia Divulgação/Divulgação

Dinheiro estava escondido em urso de pelúcia

Foto: Divulgação / Divulgação

Os bastidores da Operação Ex-Câmbio, deflagrada nesta terça-feira em cidades de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, revelaram uma movimentação milionária. A estimativa da Polícia Federal é que quatro organizações criminosas girassem US$ 600 milhões por ano (cerca de R$ 2,4 bilhões). Durante o cumprimento dos 27 mandados de prisão, 68 de busca e apreensão e 10 de condução coercitiva, agentes da Polícia Federal chegaram a encontrar dinheiro escondido em um urso de pelúcia.

O delegado responsável pela operação, Christian Wurster, conta que durante uma apreensão em Balneário Camboriú um notebook foi jogado pela janela do banheiro em um prédio, na Avenida Atlântica.

— Conseguimos recuperar o notebook e encontramos contratos de imóveis. Então o esquema também servia para a ocultação de investimentos — explica.

Leia mais:
Os detalhes do esquema de doleiros que movimentava US$ 600 milhões
PF desarticula esquema de doleiros que rendia US$ 600 milhões ao ano
Ex-jogador da Dupla Gre-Nal, Fábio Pinto é preso em Santa Catarina
Doleiros investigados usavam listas de CPFs para fraudar operações

Uma sacola de dinheiro também chegou a ser jogada pela janela de um apartamento, mas a polícia conseguiu recuperar o malote. A estimativa é que as apreensões fiquem na casa de R$ 1,5 milhão.

— 37 pessoas estão envolvidas diretamente no esquema fraudulento, 10 teriam funções de comando, 17 de gerência e 10 seriam operadores, que transportam, compram e vendem moeda — relata o delegado.

Confira a galeria de fotos da Operação Ex-Câmbio:

O SOL DIÁRIO
 Veja também
 
 Comente essa história