Réveillon e Carnaval de Florianópolis terão menos investimentos da Prefeitura Charles Guerra/Agencia RBS

Festa de Réveillon em Florianópolis será mais modesta em 2015

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

O prefeito de Florianópolis Cesar Souza Junior anunciou novos cortes no orçamento municipal. As festas de Réveillon, Carnaval e obras de pavimentação serão afetadas. As medidas visam atingir o objetivo de economizar R$ 100 milhões nos próximo 12 meses.

— As duas festas estão garantidas, mas meta é chegar a uma redução entre 50% e 60%, cerca de R$ 3 milhões. O réveillon será mais modesto, sem atrações nacionais e no carnaval vamos diminuir as festas de bairro. Vamos fazer isso para continuar prestando os serviços essenciais, como saúde e educação com integridade — explicou.

''Se nós não atingirmos as metas, poderemos aprofundar os cortes'' diz Cesar Souza Junior
 
Prefeito de Florianópolis anuncia redução de salários e renegociação de contratos para economizar R$ 100 milhões

Segundo o prefeito, o desfile das escolas de samba está garantido, assim como todos os eventos do calendário oficial, como a escolha da rainha e o Pop Gay. A festa de réveillon na Beira-Mar Continental ainda está em análise. O presidente da Liga das Escolas de Samba de Florianópolis (Liesf), Joel da Costa Junior, conta que a Liga já tinha a informação dos cortes, porém não irá afetar a realização dos desfiles: 

— Com o novo modelo de carnaval que começamos em 2015, estamos trabalhando o ano inteiro justamente com o objetivo de não ficar tão dependente da Prefeitura, correndo atrás de patrocínios da iniciativa privada — explicou.

Outros cortes

No início do mês de setembro, o prefeito já havia anunciado a redução do próprio salário e dos secretários, e também cortes de horas extras e vantagens cumulativas. Agora, além das festas, Cesar Souza Junior avisou que algumas obras terão o ritmo diminuído:

—O elevado do Rio Tavares está assegurado, mas outras obras, como pacotes de pavimentações, irão ficar mais devagar. Tudo isso para não termos problemas com o básico. É como a dona de casa está fazendo em casa, senão tem dinheiro para um bife, faz um ovo — falou.
HORA DE SANTA CATARINA
 Veja também
 
 Comente essa história