A dívida do governo, a dificuldade em aprovar o ajuste fiscal e a retração econômica fizeram com que a agência de classificação de risco Fitch rebaixasse a nota do Brasil. O país caiu de "BBB" para "BBB-". Isso significa que o país se mantém dentro do grau de investimento, mas o órgão adotou a perspectiva negativa, indicando risco de o Brasil ser rebaixado nos próximos meses.

Caso a nota volte a cair, o Brasil perderá o selo de bom pagador. O BBB- é o mais baixo conceito dentro do grau de investimento.


Em setembro, o país perdeu o grau de investimento, segundo ranking da Standard and Poor's (SW&P). Uma terceira agência — a Moody's — mantém a nota "Baa3", o mais baixo nível dentro do grau de investimento, a exemplo da classificação da Fitch.

O que muda se as agências de classificação de risco rebaixarem a nota do Brasil

Antes do anúncio, o diretor-executivo da agência no Brasil, Rafael Guedes, ressaltou nesta quinta-feira que "a Fitch geralmente não faz rebaixamento em dois graus de uma vez". Segundo ele, o "histórico de ratings soberanos, a menos que haja um evento, que mude estruturalmente a expectativa com relação aquele país, não leva a haver um rebaixamento em dois graus".

– O rebaixamento acontece a cada vez, a cada comitê ou por vez – destacou Rafael Guedes, que participa do "Seminário Brasil 2016", promovido pela Amcham em São Paulo.

– Tem que haver um evento que mude estruturalmente um país para ter uma alteração do rating em 2 ou mais graus.

Projeções do mercado para o PIB e a inflação pioram, aponta Banco Central

Guedes salientou que o Poder Executivo está ativo em enviar sugestões de ajuste fiscal para o parlamento, mas não conta com o apoio no Legislativo para aprová-las.

– O governo está sugerindo medidas ao Congresso, mas o problema está na sua aprovação – destacou.

FMI dobra para 3% previsão de queda da economia brasileira em 2015

Para Rafael Guedes, a reforma ministerial adotada pela presidente Dilma Rousseff tem como objetivo conseguir apoio político para suas políticas no Congresso, mas ele apontou que isto "até agora não se materializou".

Impeachment

O diretor-executivo da Fitch destacou que, "no momento, impeachment não é cenário base" da agência internacional para o Brasil.

– Impeachment sempre é negativo para rating. Certamente traz instabilidade política e econômica e não é positivo – disse.

Dilma afirma que oposição quer "dar golpe" para chegar ao poder
Leia as últimas notícias

 Veja também
 
 Comente essa história