Após seca, igreja submersa reaparece no México Mario Vazquez de la Torre/AFP

Foto: Mario Vazquez de la Torre / AFP

Uma igreja do século 16, submersa por uma barragem no sudeste do México por 49 anos, reapareceu depois de uma seca severa. Com isso, tornou-se atração turística visitada por barcos no estado de Chiapas.

Construída por monges dominicanos, a Igreja de Santiago Apóstolo, que não tem mais telhado, desapareceu em 1966, quando foi construída a primeira hidrelétrica sobre o rio Grijalva.

Juan Álvarez Díaz, barqueiro da sociedade cooperativa Quechula, disse que a última vez em que o templo foi visto em sua totalidade no povoado de Quechula foi em 2002.

Além disso, Díaz lembrou que, à época, o povoado "organizou uma peregrinação ao templo, carregando o santo padroeiro Santiago Apóstolo e a imagem da Virgem de Guadalupe", dois dos oito santos recuperados pelos índios zoque quando a barragem Malpaso tornou-se ativa.

O grupo indígena mantinha o local como uma atração turística e religiosa. Díaz afirmou que já levou muitos curiosos para visitar a igreja em seu barco, que carrega cerca de 10 passageiros.

Seis envolvidos na fuga de chefão do tráfico no México são presos
Furacão Patricia atinge categoria 5 e ameaça Pacífico mexicano

Entre mil e 2 mil índios zoque de Quechula foram realocados quando a barragem foi construída. Assim como a igreja, as casas foram inundadas.

O templo tem aproximadamente 15 metros de altura e outros 60 de comprimento. Mais da metade da igreja, que ficava no centro da cidade, apareceu nas últimas semanas após uma seca na barragem Nezahualcoyotl.

Os pássaros empoleiram-se nas ruínas, tomada pela vegetação. Nesta semana, no entanto, o nível da água subiu porque desde domingo passado chove em Chiapas em razão de uma tempestade tropical e de uma frente fria.

Leia as últimas notícias

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história