Argentina terá segundo turno pela primeira vez na história Montagem sobre fotos de Emiliano Lasalvia e Juan Mabromata / AFP/AFP

Maurio Macri (à esquerda) enfrentará Daniel Scioli (à direita) no segundo turno das eleições

Foto: Montagem sobre fotos de Emiliano Lasalvia e Juan Mabromata / AFP / AFP

Os primeiros resultados oficiais divulgados pelo Câmara Nacional Eleitoral argentina indicam a disputa em segundo turno entre Daniel Scioli (Frente para a Vitória) e  Mauricio Macri (Cambiemos). Por volta das 4h (horário de Brasília), quando mais de 92% dos votos foram apurados, Scioli aparecia na frente com 36,37% contra Macri, com 34,77%. Mas a disputa começou com uma surpresa: no início da divulgação da contagem de votos, Macri aparecia em primeiro e manteve a posição até por volta das 3h.

Rodrigo Lopes: vitória de Scioli, derrota do kirchnerismo

Pela primeira vez na história argentina haverá segundo turno. A menos que um dos dois desista, como fez Menem em 2003, dando vitória a Kirchner. Para vencer no primeiro turno, o primeiro colocado teria que obter 40% dos votos, além de uma diferença de 10 pontos para o segundo colocado.

Demora, filas e cautela marcam eleição argentina
Fraturado, peronismo ainda move multidões na Argentina

Mais cedo, em discurso no seu comitê eleitoral por volta da 0h30min (horário de Brasília), o candidato a presidente do Cambiemos, Mauricio Macri, falou de um novo ciclo na Argentina.

— O que aconteceu hoje muda a política deste país — sentenciou. Sem dar números sobre os comícios, assegurou que tem "muita fé" em um eventual segundo turno com Daniel Scioli, o candidato da Frente para a Vitória.

VÍDEO: entenda como funcionam as eleições na Argentina

O mesmo cenário de "ballottage" (segundo turno em espanhol), já era aguardado pelo governista Daniel Scioli (Frente para a Vitória). Apesar de iniciar seu pronunciamento no seu comitê eleitoral afirmando que ganhou as eleições sem dar certeza sobre o segundo turno, o candidato da Frente para a Vitória instalou a reabertura da campanha, repetindo as palavras que utilizou na última semana.

— Peço que continuem me acompanhando a quem antes elegeu outra proposta. Porque chegou o dia em que para um argentino, não há nada melhor que outro argentino — enfatizou citando Perón.

Acompanhe o blog Rodrigo Lopes direto da Argentina

A expectativa dada pelo ministro da Justiça Julio Alak era de que o resultado fosse divulgado à meia-noite (23h no horário local), porém a resposta oficial se delongou por mais de 6 horas desde o fechamento das urnas às 18h (19h de Brasília). Embora se fale mais dos dois principais candidatos presidenciais, também concorrem outros quatro: Sergio Massa, Margarita Stolbizer, Nicolás Del Caño e Adolfo Rodriguez Saá.

Mais de 32 milhões de argentinos estiveram aptos a eleger o seu futuro presidente.

Acompanhe como foi a apuração:

*Zero Hora com agências

 Veja também
 
 Comente essa história