Candidata do Enem recebe autorização para fazer prova de burca em Porto Alegre Marcelo Gonzatto/Agencia RBS

Foto: Marcelo Gonzatto / Agencia RBS

Convertida ao islamismo há um ano, a gaúcha Juliana Koligoski Steimetz precisou de autorização especial dos coordenadores do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para fazer a prova com uma vestimenta pouco comum.

Antes do início do exame, neste domingo, em Porto Alegre, explicou aos organizadores que vestia uma burca por motivos religiosos. Foi autorizada a entrar na sala com a roupa que cobre todo o corpo, deixando apenas os olhos à mostra, e deixou o campus pouco antes das 18h.

Confira o gabarito extraoficial do Enem 2015 em Zero Hora

— As pessoas olham um pouco, mas não houve preconceito — contou Juliana.

Ela conta que uma questão da prova de Linguagens fazia referência ao Estado Islâmico. Juliana considera importante debater o tema e deixar claro que o islamismo prega a paz, não a violência.

— O Islã de verdade não quer a morte de pessoas. Quer paz — garantiu a candidata a uma vaga no curso de Administração.

Dez coisas para NÃO fazer antes e durante o Enem
Três estudantes dão dicas para se dar bem nas provas
Dicas de simulados e sites para testar conhecimentos na reta final
VÍDEOS: confira dicas rápidas para encarar o exame no Minuto Enem

* Zero Hora

 DC Recomenda
 
 Comente essa história