Candidato resolve prova de matemática do Enem "no chute" em Porto Alegre Júlio Cordeiro/Agencia RBS

Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

No prédio 11 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, estudantes que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo deixaram as salas às 15h30, quando se esgotou o tempo mínimo de permanência.

— Fiquei fazendo hora porque havia terminado a prova muito antes — confessa Guilherme Noble, 20 anos, que prestou o exame para concluir o Ensino Médio.

Ele e o amigo Leonardo Ruperti, 21, trocavam impressões depois da prova. As questões de matemática foram resolvidas "na base do chute mesmo", admitiram. E mesmo as de linguagens apresentaram alguma dificuldade, na avaliação da dupla.

— Tinha palavras que eu sinceramente nem conhecia — lamenta Leonardo.

Dez coisas para NÃO fazer antes e durante o Enem
Três estudantes dão dicas para se dar bem nas provas
Dicas de simulados e sites para testar conhecimentos na reta final
VÍDEOS: confira dicas rápidas para encarar o exame no Minuto Enem

Em compensação, uma pergunta que envolvia a cultura do rap e do break satisfez os amigos, que também elogiaram o tema escolhido para a redação — violência contra a mulher. Também foi a impressão de Jhonata Dias, 20, que relacionou a redação com as perguntas sobre feminismo que apareceram na prova de sábado.

— Achei muito interessante, e, como o tema é polêmico, é bom de argumentar — disse.

Leia as últimas notícias sobre o Enem 2015

Seu quase xará Jonathan Ferreira, 18, concorda.

— É um assunto que todo mundo tem condições de defender — disse, satisfeito.

 Veja também
 
 Comente essa história