A maioria dos americanos (59%) acha que ciência e religião estão muitas vezes em conflito, mas esta opinião não é, paradoxalmente, dominante entre os mais religiosos - é o que mostra uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela organização independente Pew Center.

A criação do universo com o "Big Bang" e a teoria da evolução são os postulados científicos mais frequentemente citados como estando em conflito com as crenças religiosas.

De acordo com a pesquisa, apenas 38% dos 2.000 adultos representantes das pessoas entrevistadas por telefone em agosto de 2014, acreditam que suas crenças religiosas não são incompatíveis com a ciência.

Mas apenas 50% dos adultos que frequentam serviços religiosos pelo menos uma vez por semana consideram que ciência e religião estão em desacordo.

Segundo a pesquisa, 65% dos adultos nos Estados Unidos acreditam que os seres humanos e outros seres vivos evoluíram ao longo do tempo, mas 31% ainda acreditam que eles existiam na sua forma atual quando o mundo foi criado.

Entre aqueles que afirmam não ter filiação religiosa, 86% acreditam na evolução. Este é também o caso de 73% dos católicos brancos, 71% dos protestantes e 59% dos católicos hispânicos.

Em relação ao "Big Bang", 61% dos americanos que não são filiados a nenhuma igreja estão em consenso científico, considerando que o universo foi criado por um "Big Bang". Mas 69% dos protestantes evangélicos pensam que a ciência é normalmente dividida sobre a realidade de um tal "Big Bang", e também 62% de católicos.

Finalmente, metade dos adultos pesquisados acreditam que as diferentes igrejas devem expressar suas opiniões sobre as decisões sobre as grandes questões científicas, enquanto 46% acreditam que a religião não deve interferir.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história