Congresso vê reforma como primeiro passo para reconstruir base do governo Lula Marques/Divulgação

Vice Michel Temer e presidente Dilma no anúncio da reforma administrativa, na sexta-feira

Foto: Lula Marques / Divulgação

Líderes partidários avaliaram que a conclusão da reforma ministerial é só o primeiro passo para a reconstrução da base do governo no Congresso. É quase unânime a constatação de que a presidente Dilma Rousseff se colocou na linha de frente para melhorar sua relação com o Legislativo. Contudo, ninguém dá certeza de que os novos ministros garantirão todas as vitórias que o Palácio do Planalto precisa.

Levy seria novo alvo de Lula no troca-troca de ministros
Relator do TCU pede rejeição de contas de Dilma em 2014

O maior desafio reside na Câmara dos Deputados. O presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mantém-se na oposição, apesar de ter melhorado sua relação com a presidente nas últimas semanas. A interlocutores próximos, Cunha afirmou que a reforma ministerial não provoca nenhuma alteração na sua conduta. Ele também avaliou que a troca de cadeiras atendeu mais o PT que o PMDB, pois finalmente Aloizio Mercadante deixou a Casa Civil.

Dentro do PMDB, no entanto, a influência de Cunha sobre a bancada deverá ser abalada pelo fortalecimento do líder Leonardo Picciani (RJ), que conseguiu indicar dois ministros sem provocar sequelas.

— Ele soube ouvir a bancada, até mesmo os oposicionistas — disse o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR).

Quem é o novo ministro da Ciência e Tecnologia
Novo ministro da Saúde propõe cobrança dupla da CPMF

Dos 66 deputados do partido, só 22 se posicionaram contra, mesmo assim só fizeram isso quando as indicações já eram um fato consumado. Nos demais partidos, a avaliação é de que o "ambiente melhora", mas é preciso esperar quais serão os próximos passos do governo.

— Dilma cumpriu uma etapa importante, mas ainda estamos no começo do processo de retomada da governabilidade — disse o deputado Rogério Rosso (DF), líder da bancada do PSD, que possui 34 integrantes. — Só vamos saber se deu certo mesmo quando conseguirmos vitórias importantes em votações.

STF autoriza que Lula e ex-ministros sejam ouvidos
Leia as últimas notícias

* Estadão Conteúdo

ESTADÃO CONTEÚDO
 Veja também
 
 Comente essa história