Defesa Civil prevê alagamentos até domingo em Itajaí Marcos Porto/Agencia RBS

A família de Angélica Baixo recorreu ao viaduto da BR-101 para se proteger

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

Passava das 11 horas da noite de quinta-feira quando Angélica Donato Baixo saiu de casa acompanhada pelos pais, o marido e o filho de um ano e um mês. Levavam no carro tudo o que conseguiram salvar da força das águas: cobertores, colchões, televisão, máquina de lavar, comida, fogão e um botijão de gás. Foram direto para baixo do viaduto da BR-101 na saída para Brusque.

Moradores da Canhanduba, eles recorreram ao ponto pela quarta vez em uma enchente. Nunca foram para um abrigo da Defesa Civil, diz ela. A diferença é que, desta vez, decidiram sair de casa logo que a água começou a subir.

— A gente veio mais cedo para garantir lugar e poder arrumar as coisas que a gente tirou de casa — explica.

As cheias dos últimos dias fizeram os itajaienses retomar um antigo hábito das enchentes: o de procurar abrigo embaixo dos viadutos da BR-101. Para eles, o lugar é sinônimo de segurança: ali, dizem, podem cuidar dos bens que retiraram das casas com tranquilidade e ficam protegidos da chuva. Na tarde de sexta-feira, dizia Angélica, o único problema era o vento que batia forte no local:

— Tá um pouco frio, mas meu menino tá agasalhado. Até quando a gente fica aqui eu não sei, mas é melhor que ir para o abrigo.

A previsão de que Itajaí poderia ter mais de cem ruas alagadas na sexta-feira não se confirmou e a cidade, com registros de alagamentos em 39 ruas de 10 bairros, deixou o estado de alerta para entrar em atenção. Segundo a Defesa Civil, como a chuva deu trégua, o escoamento das águas que vêm dos rios Itajaí-Mirim, em Brusque, e Itajaí-Açu, em Blumenau, foi considerado rápido.

Um dos principais transtornos na
sexta-feira foi a interdição da ponte Tancredo Neves, que liga os bairros Cordeiros e São Vicente. Uma avaliação será feita neste sábado para decidir quando o trânsito será liberado.

O coordenador da Defesa Civil Everlei Pereira, afirma que os moradores das regiões alagadas precisam ficar atentos durante todo o fim de semana, principalmente quando houver incidência de maré alta.

— A situação ainda é delicada, temos três pontos de cheias. Os alagamentos vão retornar devido aos picos de maré, por isso os moradores precisam ter cautela na hora de voltar para casa — afirma.

A orientação da Defesa Civil é que os moradores fiquem atentos ao sistema de telemetria, que pode ser consultado no site da instituição (defesacivil.itajai.sc.gov.br), para saber quando haverá alagamento.

— É muito importante que os moradores continuem atentos. Ainda há previsão de grandes volumes de chuva para o final do mês e para o início de novembro — diz Pereira.

O SOL DIÁRIO - O SOL DIÁRIO
 DC Recomenda
 
 Comente essa história