Dilma e Sartori sobrevoam áreas atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul Roberto Stuckert Filho/Presidência da República/Divulgação

Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência da República/Divulgação

A presidente Dilma Rousseff sobrevoou as áreas alagadas do Rio Grande do Sul na tarde deste sábado acompanhada de ministros, do governador José Ivo Sartori e de uma comitiva de prefeitos. O helicóptero partiu da Base Aérea de Canoas por volta do meio-dia. Após sobrevoar a cidade, seguiu em direção a Cachoeirinha. Depois, passou sobre a região das ilhas de Porto Alegre e continuou o trajeto em direção a Eldorado, antes de retornar à Base Aérea. Conforme o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, que acompanhou a presidente, o voo durou cerca de 40 minutos.

Dilma disponibilizou uma equipe do governo federal — que estará no Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira — para auxiliar os prefeitos no preenchimento de documentos que permitem a homologação dos decretos de situação de emergência pelo Ministério da Integração Nacional.

— Além dos 66 municípios que nós já reconhecemos como situação de emergência, nós vamos vir com uma equipe para tomar as providências necessárias para que se cumpram os requisitos para que eles [municípios] possam ser enquadrados em situação de emergência. Porque não podemos usar recursos públicos sem atender à lei — disse Dilma.

Grupo RBS libera acesso a conteúdo digital de jornais durante a cobertura das chuvas

Antes do voo, ela reuniu-se com Sartori, com a comitiva de prefeitos, com os ministros da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, e com o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira Júnior. Depois do encontro, concedeu uma entrevista coletiva de 11 minutos e, em seguida, subiu no helicóptero.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul registra 132 cidades prejudicadas pelas chuvas que castigam o Estado desde o inicio do mês, com 177 mil pessoas atingidas, 6.408 famílias desalojadas e 1.353 desabrigadas. Em Porto Alegre, mais de 10 mil pessoas tiveram as residências alagadas, e 1,5 mil estão fora de casa.

Apesar de trégua, chuva deve voltar ao Estado no domingo

Santa Catarina

Durante a tarde, Dilma sobrevoaria a região mais afetada pelas enchentes em Santa Catarina. A viagem, no entanto, foi cancelada devido ao mau tempo.

Quase 30 mil pessoas de 97 cidades catarinenses já foram prejudicadas pela chuva de outubro, segundo relatório da Defesa Civil do estado. Há 1.790 desabrigados e 2.933 desalojados em Santa Catarina.

ZERO HORA
 DC Recomenda
 
 Comente essa história