Elizeu Mattos (PMDB) volta à prefeitura de Lages depois de dez meses afastado Cao Ghiorzi/Secretaria Municipal de Comunicação de Lages

Elizeu Mattos cumprimenta o vice Toni Duarte, que esteve à frente da prefeitura durante o afastamento

Foto: Cao Ghiorzi / Secretaria Municipal de Comunicação de Lages

CORREÇÃO: Até as 13h do dia 6 de outubro, este site informou que o Partido dos Trabalhadores (PT) faz parte da oposição na cidade de Lages, quando na verdade é da situação. A reportagem foi corrigida.

Depois de dez meses, o prefeito Elizeu Mattos (PMDB) voltou à Prefeitura de Lages. Às 7h50min desta segunda-feira, o político que foi afastado do cargo em 5 de dezembro do ano passado por suspeitas de corrupção, entrou sorridente em uma prefeitura ainda fechada — o expediente começa somente à tarde.

A volta do prefeito foi anunciada na última sexta-feira depois que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, concedeu uma liminar a Elizeu, afirmando que não havia previsão de encerramento do processo e que o afastamento dele já representaria uma antecipação dos efeitos de uma possível condenação. No entanto, a decisão prevê que o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) ou o juiz da Vara da Fazenda Pública de Lages, Leonardo Fagotti Mori, entrem com outras medidas cautelares.

Depois de alguns cumprimentos ainda no hall de entrada, Elizeu Mattos subiu até o gabinete e ficou à espera do vice-prefeito Toni Duarte (PPS) — que estava à frente da cidade de forma interina desde o afastamento. O vice-prefeito chegou às 8h30min e os dois tiveram uma conversa breve sobre o andamento da administração municipal.

Além de conversar com Toni Duarte, Elizeu também teve reuniões com alguns secretários, com o objetivo de se inteirar principalmente da situação financeira e de outras questões administrativas da prefeitura.

Por volta do meio-dia, o prefeito recebeu no gabinete o presidente estadual do PMDB, o deputado estadual Valdir Cobalchini, que comemorou a volta de Elizeu ao cargo e afirmou que ele integra a chapa do diretório do partido, que tem convenção municipal agendada para sábado.

Conforme divulgado pela Secretaria de Comunicação de Lages, Elizeu não concederá entrevistas sobre a volta ao governo por enquanto, já que ainda está tomando conhecimento do andamento da máquina pública. Ele também não falará sobre o período afastado e o processo judicial. Os advogados do prefeito devem receber a imprensa na quarta-feira para tratar do assunto.


Foto: J. Damasceno/ Rádio Guri

Cidade dividida

As manifestações desde o anúncio da volta do prefeito Elizeu Mattos mostram uma divisão na cidade. Ainda na sexta-feira, um foguetório em comemoração ao retorno de Elizeu ao Paço Municipal pode ser ouvido em várias partes de Lages por volta das 21h, horário em que ele retornava de um compromisso na Capital.

Mas já nesta segunda-feira, um grupo contrário ao seu retorno organizou um protesto em frente à prefeitura. Marcado para as 18h, as convocações foram feitas pelas redes sociais e têm como mote: "Bem-vindo prefeito. Sqn (Só que não)". Um reforço na segurança da Casa foi convocado.

Vereadores dos partidos de oposição ao prefeito (PSD e PSB) também vão se manifestar contrários ao retorno de Elizeu na tribuna do plenário nesta segunda, ressaltando que ele não foi inocentado, mas apenas teve o direito de retornar ao trabalho enquanto o processo continua tramitando.

Entenda o caso

O prefeito Elizeu Mattos (PMDB) foi afastado em 5 de dezembro em razão de denúncias da Operação Águas Limpas, do Grupo de Atuação Especial do Combate do Crime Organizado (Gaeco). A apuração, do início de 2014, apontou pagamento de propinas e fraudes em licitações no serviço de água e esgoto do município.

Em dezembro do mesmo ano, Elizeu foi preso preventivamente e encaminhado para o 6º Batalhão da Polícia Militar de Lages, onde ficou até fevereiro. Apesar da liberação da prisão, Elizeu se transformou em réu por organização criminosa, corrupção passiva, dispensa e fraude em licitação. O processo corre na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da região.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história