Enem 2015 tem menor índice de abstenção dos últimos seis anos Félix Zucco/Agencia RBS

Ministério da Educação calcula que 6,915 milhões de estudantes realizaram as provas

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

A edição do Enem realizada nesta fim de semana teve o menor índice de abstenção dos últimos seis anos e de eliminação dos últimos três anos. Segundo balanço do ministério da Educação, 6,915 milhões de estudantes realizaram as provas e a abstenção ficou em 25,5%. Os eliminados somam 743 participantes.

Confira o gabarito extraoficial do Enem 2015 em Zero Hora
Abstenção do Enem é de 25,31% no 1º dia de prova

A expectativa do MEC, conforme o ministro Aloizio Mercadante, é de que as notas do Enem sejam divulgadas na primeira semana de janeiro para que as vagas em universidades pelo Sisu possam ser abertas na sequência.

Três municípios tiveram as provas canceladas por causa de chuva e falta de energia. Participantes inscritos em Taió e Rio do Sul, em Santa Catarina, e Marituba, no Pará, que somam 5,203 mil alunos, farão novas provas nos dias 1º e 2 de dezembro.

Enem revela desigualdade educacional no Brasil
Ministério da Educação cria ranking alternativo do Enem

O ministro Mercadante elogiou o debate sobre gênero e violência contra a mulher, apontado em uma questão e no tema central da redação, que foi "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira". "Mais respeito às mulheres", disse ele.

O uso da frase da escritora e filósofa francesa Simone de Beauvoir na prova de ciências humanas "Não se nasce mulher, torna-se mulher", gerou polêmica nas redes sociais e manifestações de deputados como Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP). A questão tratava do tema das lutas feministas no século XX. Mercadante lembrou a história da filósofa e defendeu o debate e o direito de divergir. "Na educação você tem que estar aberto a conhecer", afirmou.

 Veja também
 
 Comente essa história