Estudantes de Joinville participam das provas do Enem neste fim de semana Rodrigo Philipps/Agencia RBS

Vitor e Bruno estão confiantes para realizar a prova do Enem

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começou para valer quando os portões se abriram, ao meio-dia deste sábado, para a entrada dos estudantes nos locais de prova, que começou às 13h30 (horário de Brasília).

Leia as últimas notícias sobre Joinville

É o momento definitivo para apresentar o domínio no conteúdo que começou a ser visto, para a maioria dos participantes, há pouco menos de três anos.

Letícia Cristine Baumer, 17 anos, é uma das alunas que chegaram ao fim do terceiro ano do ensino médio com uma certeza: mais do que estudar e decorar os assuntos apresentados em cada matéria, ela adquiriu conhecimento. Assim, ao analisar as provas das outras edições do Enem, pode ter a confiança de ter aprendido de verdade as respostas para aquelas questões.

— Desde que eu entrei no ensino médio, comecei a focar em conteúdos específicos. Mas, principalmente, prestei atenção nas aulas para aprender de verdade, e não apenas decorar – destaca a adolescente.

Colega de Letícia na escola, Alan Priebe, 17, também concentrou a maior parte dos esforços no aprendizado em sala de aula, mas buscou na tecnologia uma colaboração para as matérias nas quais tem menos identificação: a partir de vídeoaulas, ele tirou dúvidas e se preparou melhor para os exames.

— Era um jeito mais dinâmico de estudar. E também foquei na redação, porque ainda tinha muitas dúvidas – avalia.

Letícia e Alan são alunos da Escola Estadual Osvaldo Aranha, que em 2014 conquistou média geral em redação maior do que algumas escolas privadas de Joinville, ficando em 12º no ranking geral do município neste quesito. Segundo a professora de língua portuguesa e redação, Marlene Unterstell Creuz, trata-se de uma prova para a qual os estudantes devem ser preparados desde o início do ensino médio.

— Eles precisam estar conectados com os assuntos atuais e ainda saber argumentá-los na dissertação — afirma.


Letícia e Alan esperam bons resultados na prova. Foto: Rodrigo Philipps/RBS

Experiência de “treineiro” pode ser decisiva

Estudantes do Colégio Bom Jesus de Joinville, instituição que conquistou a melhor média municipal e o sexto lugar no ranking geral das escolas de Santa Catarina em 2014, Vitor Hugo Patzlaff e Bruno Manteufel Pereira já têm a experiência de serem “treineiros”.

No ano passado, eles fizeram a prova para não terem surpresas na hora decisiva.

— Pude perceber que o Enem não é tão específico, quer dizer, ele exige a extração de conhecimentos mais gerais – diz Bruno.

Assim como Bruno, Alan e Letícia, Vitor sente-se confiante, mas sabe que uma boa noite de sono entre as provas também será determinante. Afinal, entre sábado e domingo, o Enem totaliza quase dez horas de testes teóricos.

— Agora é relaxar e controlar a ansiedade. O Enem é uma prova cansativa, e uma das maiores dificuldades é a resistência para manter a concentração – diz Vitor.

A NOTICIA
 Veja também
 
 Comente essa história