Um homem de uma cidade israelense de maioria árabe utilizou no sábado um paraquedas para entrar na Síria, aparentemente com a intenção de unir-se aos grupos que combatem o regime do presidente Bashar al-Assad, informou neste domingo o Exército de Israel.

É a primeira vez que se tem notícia dessa forma de cruzar a fonteira.

Na tarde de sábado, "um posto de vigilância detectou um civil israelense entrando de paraquedas em território Sírio", afirmou o exército israelense.

"De acordo com as primeiras investigações, este civil é residente em Jaljulia, uma cidade ao nordeste de Tel Aviv, indicou a mesma fonte. Até agora é desconhecido o que aconteceu com este homem.

O Exército "examina a possibilidade dele ter entrado na Síria para unir-se aos rebeldes", explicou um porta-voz ao ser perguntado sobre informações difundidas pela imprensa israelense, segundo as quais teria o objetivo de unir-se à organização jihadista Estado Islâmico (EI).

O paraquedista partiu do sul de Golã, na parte do planalto ocupada por Israel, desde a guerra dos Seis Dias, em 1967, e anexada em 1981, segundo o exército.

A Brigada dos Mártires de Yarmuk, próxima ao EI e ativa no sul da Síria, onde havia aterrissado o paraquedista, disse em sua página no Facebook que não o capturou.

Cerca de 45 árabes (descendentes de palestinos que têm nacionalidade israelense) uniram-se às filas dos jihadistas na Síria, segundo dados do Shin Beth, os serviços de segurança interna da Israel. A maior parte veio pela Turquia.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história